21 dezembro, 2016

Bodebrown lança rótulo com inspiração natalina


Inspirada em uma tradicional bolacha natalina europeia, a nova cerveja da Bodebrown combina com as festas de fim de ano. A Spekulaas resgata a tradição de países europeus de distribuir biscoitos para as crianças no Dia de São Nicolau, em 6 de dezembro. Esta criação da cervejaria tem como base a Belgian Dubbel com açúcar mascavo, trigo e especiarias.

A Spekulaas conta com 7% de teor alcoólico e baixo amargor, com toque de sabor maltado e notas de damasco, canela e uvas passas e diversas especiarias como canela, nos moscada, pimenta branca, pimenta preta, zimbro, cardamomo e casca de laranja. O aroma típico da bolacha é marcante, com notas sutis de frutas desidratadas e ameixa, bem como noz moscada, cardamomo e canela.

O nome da cerveja faz referência aos biscoitos, chamados de Spéculos na França, Spekulatius na Alemanha ou ainda Speculaas na Holanda. O termo em latim "spekulatius" remete às especiarias usadas, que deixam um sabor bem característico no doce e recriados para a cerveja da Bodebrown. Ela já pode ser encontrada na loja da fábrica e em bares, empórios e lojas especializadas.

20 dezembro, 2016

Cervejarias Satélite e Caverna lançam American IPA colaborativa


As cervejarias Satélite e Caverna se uniram para lançar de forma colaborativa uma nova cerveja, a The Hop Dragon IPA, uma American IPA com 6% de teor alcoólico e 60 IBUs (Unidade de Amargor).Uma receita sazonal produzida em pequena quantidade, para comemorar a amizade das duas cervejarias.

A novidade chega hoje nos pontos de venda, apenas em chope, exclusivo para semana de Natal. As garrafas devem ser lançadas em fevereiro de 2017.

Segundo o release, a Satélite/Caverna The Hop Dragon IPA foi feita para quem não tem medo de lúpulo! Para quem quer uma cerveja “viva” com aroma marcante, fruto da generosa quantidade de lúpulos no “dry hopping”. Carregada de maltes especiais e com um toque de trigo, que conferem uma experiência única. Apresenta notas de frutas tropicais, amargor intenso e agradável.

My Growler lança e-book sobre os estilos de cerveja artesanal preferidos dos brasileiros


Você sabe quais são os estilos de cerveja artesanal mais consumidos no país? Para solucionar esse problema, foi lançado ontem o e-book “Os 10 Estilos de Cerveja Artesanais Mais Populares no Brasil”. Uma obra editada pela My Growler e com autoria do beer sommelier Rodrigo Sawamura e prefácio do CEO da empresa, Rodrigo Fernandes.

No e-book, Sawamura, que foi eleito o melhor beer sommelier do Brasil em 2016 pelo Instituto da Cerveja Brasil e Associação Brasileira de Sommeliers, apresenta os principais estilos cerveja artesanal - da conhecida Bohemian Pilsner até a controversa American Sour. O autor fala sobre a origem de cada um dos estilos e suas características, indica as taças mais adequadas para o serviço e brinda o leitor com dicas preciosas de harmonização.
Diante de uma enxurrada de novas marcas, é fato que todo apreciador de uma boa cerveja, com um mínimo de curiosidade, sente-se tentado a experimentar algo diferente do que está acostumado. E, foi pensando nisso, que a My Growler e eu juntamos forças para produzir um e-book que tem como objetivo ajudar os consumidores a se aventurar por conta própria nesse fantástico universo das cervejas artesanais”, explica Sawamura.

Rodrigo Sawamura

Instruir os consumidores de cervejas artesanais sobre os estilos mais populares de cerveja artesanal no Brasil e o jeito de consumir cada um deles faz parte da missão da My Growler: populizar a cultura da cerveja artesanal e do growler.
A My Growler atua para disseminar uma prática de consumo comum na Europa e na América do Norte: a busca de cerveja diretamente na fonte, um jeito mais livre e sustentável de se consumir cerveja”, define Fernandes.

Rodrigo Fernandes

Para isso, a empresa, que se define como uma promotora da cultura “growleira”, investe na formação de uma rede nacional de pontos de venda e recarga de growlers e trabalha na abertura de mercado por meio da educação de consumidores.

Ficou interessado? Faça o download gratuito aqui.

Ficha técnica:

Os 10 Estilos de Cerveja Artesanais Mais Populares no Brasil
Autor: Rodrigo Sawamura
Prefácio: Rodrigo Fernandes
Projeto, edição e revisão: Bianca Persici Toniolo
Projeto gráfico: Gabriela Suárez Zabalveytia
Porto Alegre: Editora My Growler, 2016.
Distribuição gratuita pelo link https://goo.gl/VtuZAR

Instituto da Cerveja Brasil divulga trabalho inédito sobre o crescimento da cerveja artesanal no país

Trabalho inédito do Instituto da Cerveja Brasil, consolidando números do mercado de cervejarias artesanais no Brasil. Resultado de um levantamento de 2 anos, que contou com a ajuda de centenas de microcervejarias, MAPA e associações regionais como Procerva, Apacerva e AGM.

Crescimento de cervejarias artesanais no Brasil
O ano de 2015 terminou com 372 cervejarias artesanais no país, com crescimento de 17% em relação a 2014. Além disto, nos últimos anos a taxa de crescimento vem acima de 50 novas cervejarias artesanais por ano, o que representa em média uma nova cervejaria por semana.
As estimativas para 2016 continuam no mesmo ritmo. Em torno de 60 novas cervejarias terão iniciado sua produção este ano, o que leva o país ao número de 432 cervejarias artesanais no final de 2016.


Localização
Apesar de sua grande área territorial, 91% das micro cervejarias do Brasil estão localizadas apenas nas regiões sul e sudeste, concentradas em 6 dos 27 estados do país. Isso reflete exatamente a concentração econômica do Brasil que se dá também nestas duas regiões.

O estudo sobre o nosso mercado de cervejas é longo e merece uma atenção especial. Entre na página do ICB e veja todos os detalhes.

19 dezembro, 2016

Cervejaria Lund lança IPA com frescor destacado de lúpulos americanos


A Cervejaria Lund, de Ribeirão Preto, está incorporando ao seu portfólio um novo rótuloa, a Lund IPA, para agradar os lupomaníacos de plantão.  Segundo a cervejaria, o novo rótulo apresenta uma explosão de aromas florais, cítricos e herbais proveniente da utilização de lúpulos americanos de safras recentes em sua brassagem.

Para garantir a característica marcante de frescor ao novo rótulo, a equipe de desenvolvimento de produto da cervejaria optou por uma seleção combinada de maltes com diferentes lúpulos para fervura e dry hopping no processo de fabricação, resultando na obtenção de uma cerveja forte, de cor dourada para cobre, destacada por uma espuma de boa persistência em bege claro.

A Lund India Pale Ale é uma cerveja de corpo médio, de teor alcoólico de 6,8% por volume e IBU 74, que permite uma excelente experiência sensorial aos apreciadores do estilo. De início amargo, tem retrogosto refrescante, evoluindo para um amargor residual levemente cítrico na boca.

O novo rótulo chega ao mercado no mês de dezembro com foco da distribuição aos mercados de Ribeirão Preto e região, Brasília e capitais dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Santa Catarina, com preço sugerido de R$ 23,90 a garrafa de 600 ml. O produto estará disponível também em barris de 30l e 50l e engatado em bares e restaurantes das regiões destacadas em forma de chope.

Para mais informações sobre a Cervejaria Lund acesse www.cervejarialund.com.br ou siga a cervejaria nas redes sociais, página no Facebook e perfil no Instagram como @cervejarialund

Cervejaria Green Flash (EUA) com novidades em lata no Brasil!


A cervejaria norte-americana Green Flash chega com novidades em janeiro no Brasil, via importadora Buena Beer.
Dois rótulos chegam no formato lata, pela primeira vez no país a Jibe e também a Soul Style, que já era conhecida dos brasileiros no formato garrafa.

- Green Flash Jibe | Session IPA | 4% ABV
Uma Session IPA extremamente refrescante, com boa drinkability e produzida com os lúpulos Warrior, Chinook e Cascade.


- Green Flash Soul Style IPA | IPA | 6,5% ABV
Amarela, translúcida, notas cítricas, corpo leve com amargor forte que permanece no final do gole.


Reposição em garrafa
- Green Flash Tangerine Soul Style | IPA com Tangerina | 75 IBU | 6,5% ABV.
Uma versão da Soul Style IPA, brilhante, dourada e o aroma fresco de tangerina. Fabricada com maltes americanos e uma mistura de Citra e Cascade hops, com raspas de tangerina, acentuadas pelo sabor floral e tropical.

Tendências mundiais sobre diferentes ingredientes na cerveja, por Jerome Pellaud


Jerome Pellaud, vice-presidente global de Craft & Specialties da AB Inbev, elaborou um conteúdo especial sobre tendências mundiais do uso de diferentes ingredientes na cerveja, bem detalhado, cheio de referências históricas e geográficas.

Grande especialista em tendências no universo cervejeiro, aqui ele conta como a diversidade de ingredientes usados para a produção da bebida – sejam especiarias, frutas, grãos, café e até abóbora – criam novos tipos e estilos de cerveja, que agradam os mais variados paladares pelo mundo.

 “De todas as bebidas alcoólicas, a única categoria que permite aos seus fabricantes expressar a maior criatividade é, sem dúvida, a cerveja”, afirma Jerome.
                                                                                                                                                                             
Liberdade de escolha
A cerveja não só pode utilizar muitos tipos diferentes de malte de cevada e de trigo (variando de malte pálido a escuro, caramelo, chocolate, torrado, defumado etc), como também, na grande maioria dos países, incluir outros cereais e grãos como quinoa, sorgo, centeio, aveia, milho, arroz, trigo mourisco e milheto. Muitos ingredientes naturais podem ser usados ​​pelos mestres cervejeiros para criar estilos únicos e deliciosos.

Os cervejeiros belgas estão entre os primeiros a explorar a diversidade de ingredientes na bebida. O estilo de cerveja mais famoso usando ingredientes criativos para entregar um perfil de sabor único e altamente aclamado é a cerveja de trigo de origem belga. No entanto, os cervejeiros artesanais dos EUA abraçaram a fabricação de cerveja com ingredientes incomuns para aprofundar os limites dos estilos e criar cervejas novas, singulares, gostosas e populares.
Vários estilos de cerveja muito tradicionais e famosos usam ingredientes além da visão muito estreita da lei de pureza alemã, de 1516. Essa lei foi, antes de tudo, uma maneira de aumentar os impostos sobre a produção de cerveja por meio de um rigoroso controle dos ingredientes.

Especiarias
Os cervejeiros belgas foram os primeiros a ultrapassar os limites da cerveja. Mesmo antes da Bélgica se tornar um país independente, eles exploraram o uso de especiarias e frutas. Localizados nos cruzamentos entre Reino Unido, França e Holanda, tiveram a sorte de poder usar não só os ingredientes produzidos localmente, mas também brincar com especiarias disponíveis pelos comerciantes na região. As cervejas de trigo belga são fabricadas com sementes de coentro, casca de laranja amarga, bem como trigo não amadurecido, além do malte de cevada mais tradicional e lúpulo. Isso dá uma ligeira refrescância cítrica e notas florais à cerveja. É muito apreciada no mundo todo e inspirou gerações de cervejeiros em muitos países.

Um estilo belga que vive um boom atualmente é o Belgian Saison, elogiado por seu perfil de sabor complexo, porém refrescante e leve. As Belgian Saison foram originalmente fabricadas no outono, fermentadas lentamente durante os meses mais frios para serem servidas aos trabalhadores durante a temporada de colheita de verão (saison em francês). Produzida às vezes com algum trigo e/ou aveia, os cervejeiros adicionam frequentemente pimenta malagueta para dar uma nota apimentada leve, acentuada pelo uso de variedades tradicionais do lúpulo.

Os cervejeiros alemães testam há muito tempo os limites da lei da pureza, muito restritivos para muitos deles. No norte da Alemanha, em torno da cidade de Leipzig, há quase 1.000 anos cervejeiros têm fabricado uma Ale azeda e salgada, feita principalmente a partir de malte de trigo e usando sementes de coentro. Este estilo de cerveja único é conhecido como Gose, em homenagem ao rio Gose que flui na cidade de Goslar, cerca de 150 km a oeste de Leipzig. Gose tem sido tradicionalmente fabricado utilizando água ligeiramente salgada, que era a água natural proveniente dos aquíferos ricos em minerais em Goslar e seus arredores.

Moderadamente azedo, frutado, com um acabamento salgado marcante, o Gose foi redescoberto recentemente e muitas variadades foram lançadas, especialmente no verão norte-americano.

O que é mais tradicional à primeira vista do que as famosas Belgian Trappist, fabricadas exclusivamente por monges em mosteiros? A maioria de suas cervejas alcançaram o status de “cult” com consumidores que cruzam grandes distâncias para colocar as mãos em suas garrafas. A maioria usa açúcar mascavo e especiarias como noz moscada e/ou coentro. Algumas usam a pimenta malagueta. Mas todos tratam sua a receita como um segredo cuidadosamente guardado.

Frutas
Há mais de dois séculos, elas aperfeiçoaram a arte da fermentação espontânea, criando os famosos estilos de cerveja azeda como Gueuze, Lambic e Kriek. A Kriek é feita com cerejas ácidas infundidas durante vários meses em barris de madeira. A cerveja resultante é uma bomba de fruta, com forte nota de cereja, acento doce e azedo e uma bela cor vermelha. Dado o sucesso de Kriek, cervejeiros da Bélgica e de outros países têm, desde então, feito experiências com muitas outras frutas, principalmente mirtilos, amoras, morangos e pêssegos.

Um dos mais recentes e interessantes desenvolvimentos em termos de inovação na fabricação de cerveja vem da Itália. Os italianos têm trazido para o mundo tantas iguarias  e bebidas alcoólicas, que não é surpresa que os cervejeiros italianos queiram criar os  seus próprios estilos de cerveja. Como resultado, eles experimentaram com sucesso a mistura de uva e cereais para criar novos estilos de cerveja incríveis e delicados, que ficam entre o vinho espumante e a cerveja.
 

As tendências que crescem mais rapidamente nos EUA nos últimos dois anos são as de cervejas com frutas, com destaque para as IPAs cítricas. Estas cervejas deliciosas são fabricadas com frutas cítricas inteiras, sucos ou cascas, para aumentar as notas cítricas do lúpulo que as pessoas gostam tanto em IPAs. Uma evolução ligeiramente mais recente desta tendência é a ampliação da nota tropical proveniente de novas variedades de lúpulo pela adição de manga, maracujá e/ou abacaxi durante o processo de infusão.

Grãos
Por séculos, os grãos têm representado uma fonte natural de açúcar para a nutrição e criação de bebidas alcoólicas famosas. As pessoas têm usado o grão mais fácil de crescer e, portanto, mais amplamente disponível em torno deles. Se a civilização e a fabricação de cerveja tivessem começado na China, por exemplo, todas as cervejas modernas seriam provavelmente compostas por arroz, mas ele é um cereal difícil de cultivar.  No “Novo Mundo”, a fabricação de cerveja foi baseada em outra cultura nativa fantástica, o milho. A cerveja resultante foi chamada localmente de “chicha”.

A Oatmeal Stout são famosas pelo uso de aveia. Ela traz um acabamento agradável, aveludado,  tostada e toffee.

Outro antigo estilo de cerveja que usa grãos diferentes é o Sathi, da Finlândia. É fabricado com grãos maltados e não maltados, incluindo cevada, centeio, trigo e aveia. Sathi é uma cerveja tradicionalmente aromatizada usando bagas de zimbro.

O centeio está ganhando popularidade na fabricação de cerveja, especialmente no estilo Pale Ale. Ele traz um tempero único e uma amargura muito leve, complementando a espinha dorsal de lúpulo e malte.

Outros ingredientes


Café: Com 168 inscrições no Great American Beer Festival, as cervejas de café representam uma das categorias que crescem mais rapidamente.
Chocolate: nos últimos anos, os fabricantes de cervejas artesanais têm lançado versões deliciosas de Porter e Stout com este ingrediente. Muitas vezes também combinadas com pimenta, como uma variante da tradicional mexicana Molle.
Raízes de genciana: as raízes amargas são usadas tradicionalmente em licor na Suíça e na Itália. Elas podem substituir parte do lúpulo e trazer um acabamento ligeiramente terroso e de ervas amargas para a cerveja. Exemplo: Birra Del Borgo Genzianna.
Abóbora: A cerveja de abóbora é popular desde o século XVII nos EUA, com um pico no século XVIII. O estilo tornou-se favorito no outono. É muitas vezes fabricado com canela, gengibre, noz-moscada e/ou toda a especiaria que crie um sabor de “aquecimento”.
Mel: tem sido usado na cerveja para trazer uma complexidade doce e agradável, além de ser um ingrediente local muito natural.
Flores: o jasmim é usado em cervejas icônicas como Elysian Jasmine Avatar IPA.

16 dezembro, 2016

BrewDog Bar São Paulo realiza o último Beer Weekend do ano


No próximo final de semana, dias 17 e 18 de dezembro, o BrewDog Bar São Paulo realiza a última edição do ano do Beer Weekend, tradicional evento de rua que acontece todo final de mês. Além das 22 torneiras de chope da casa e das sugestões de hot-dogs autorais da cozinha, convidados gastronômicos e bandas de rock completam a programação.

Os caras da Erva Doce Gastronomia estarão por lá tanto no sábado quanto no domingo. Formado pelos ex-integrantes da terceira temporada do reality MasterChef, da Bandeirantes, o quarteto prepara sanduíches clássicos: o menu de Aluísio Nahime, Fernando Bianchi, Rodrigo “Tenente” e Fábio Nunes é composto pelo Veganão (R$25), wrap de caponata defumada, X-Burgui (R$20), com pão, carne e queijo, e Di Sempre (R$25), hambúrguer com queijo, cebola roxa, maionese temperada e bacon.

As sobremesas ficam a cargo da Cheesecakeria, que prepara mini cheesecakes (R$6), em sabores como limão, maracujá e doce de leite, bolos em fatia (R$15), como o tradicional Red Velvet, e brownie cheesecake (R$10), com coberturas variadas.

A música não fica de fora. Durante o fim de semana, a Queda Livre apresenta seu repertório de rock nacional clássico. No sábado à noite, o destaque é a Cristo Bomba, que toca hits de punk e hardcore.


Beer Weekend do Brewdog Bar São Paulo
from All Beers on Vimeo.


Serviço:
BrewDog Bar e Bottle Shop
Endereço: Rua dos Coropés, 41, Pinheiros
Telefone: 11 3032-4007
Beer Weekend
Sábado e domingo, dias 17 e 18/12, a partir das 12h

Horário de funcionamento especial de fim de ano:
24/12 - das 12h às 16h, Bar e Bottle Shop
25/12 - fechado
De 26 a 30/12 - das 12h às 20h, somente Bottle Shop
31/12 e 01/01 - fechado
De 02 a 05/01 - das 12h às 20h, somente Bottle Shop
A partir de 06/01 - horário normal
https://www.facebook.com/brewdogsaopaulo

Invicta Jingle Beer acontece neste sábado


Para encerrar o ano de 2016 com chave de ouro, a Cervejaria Invicta realizará no dia 17 de dezembro o Invicta Jingle Beer, uma festa especial com muita cerveja, música e boa comida. O evento, que terá entrada gratuita, acontece na Invicta Store, integrada a nova fábrica, e promete surpreender os convidados com várias atrações. Outra novidade é que a cervejaria acaba de lançar o novo site com uma loja virtual que passa a atender todo o país.

No evento, a cervejaria fará uma produção na panelinha que será aberta ao público com os cervejeiros da Invicta, uma ótima oportunidade para quem tem interesse e curiosidade em saber os passos da produção da bebida. Outra atração muito esperada é a exposição de carros antigos com a participação do Auto Mogiana Clube. Quem tiver um carro antigo e quiser levar para expor, o evento terá também uma área especial de estacionamento reservada para este fim.

São muitas atrações bacanas além de muito chope Invicta fresquinho nas torneiras. Um novo modelo de growler estará à venda por um preço promocional de R$ 55,00 já cheio com nosso chope Pilsener. Quem já tiver growler de qualquer marca pode trazer para encher pois estaremos com um preço promocional em diversos rótulos. E ainda tem os kits Invicta em promoção, ótima oportunidade para presentear os amantes da boa cerveja neste Natal”, conta o mestre cervejeiro e diretor da Invicta, Rodrigo Silveira.

Outro acontecimento da cervejaria que promete agradar aos clientes é o lançamento do novo site que ocorre ainda no mês de dezembro. “Será uma loja virtual, que venderá para o Brasil todo, permitindo que toda a linha Invicta e associadas cheguem aos quatro cantos do país, inclusive nas cidades que ainda não há distribuidores. Além das cervejas, teremos camisetas, bonés, chaveiros, copos, growlers, produtos diferenciados, que tem feito muito sucesso na loja da Invicta e agora vamos enviar para todo o território nacional”, explica Rodrigo.

O som do Invicta Jingle Beer fica por conta de João da Gaita & Beto Leoneti com muito blues ao vivo e também DJ agitando o público com muito rock’n roll.  Os consagrados burgers das Las Forasteras e o churrasco do Fat Hog garantem a comida de qualidade do evento.

A festa acontece no dia 17 de agosto, das 09:00 às 18:00 na nova fábrica da Cervejaria Invicta localizada na Avenida do Café, 1881. A entrada é gratuita e o público só paga o que consumir. Mais informações pelo telefone 16 - 3878 1020.

Concurso Casa OLEC vai eleger a melhor cerveja caseira do Brasil


O 2º Concurso Casa OLEC vai eleger o melhor cervejeiro caseiro do Brasil. Os cinco finalistas foram divulgados na quarta-feira, 14 de dezembro, e o grande vencedor será conhecido no sábado, durante a festa de três anos da Casa OLEC - empresa especializada em cerveja caseira, desde a venda de equipamentos e insumos até a realização de cursos e encontros cervejeiros.

André Braga, de Brasília; Lucas da Silva e Paulo Melo, de Belo Horizonte; e Marcelo Gomes e Rafael Campolina, de Nova Lima são os finalistas do concurso, escolhidos pelos 15 jurados, todos especialistas em cerveja.

Jurados

Mais do que escolher a melhor cerveja caseira, queremos incentivar e propagar a cultura cervejeira no Brasil. Seja por meio da competição, dos cursos e dos encontros que promovemos entre os Homebrewers”, explica Mateus Caetano, Diretor da Casa OLEC. Ao todo, foram enviadas 125 amostras de cervejas caseiras de 12 estados. No desafio proposto nessa edição, os participantes tinham que produzir uma cerveja de qualquer estilo base, com até 5% de álcool e adição de café em pelo menos uma etapa da produção (Estilo Livre com Café - limitado a 5% ABV).

Como prêmio, o primeiro lugar terá sua cerveja produzida e comercializada pela Cervejaria Wäls (2.000L), com a sua assinatura, e vai receber uma Cigarrinha Elétrica (30L) - equipamento automatizado de produção caseira de cerveja, desenvolvido pela Casa OLEC. O segundo colocado vai ganhar um vale compras no valor de R$800 para ser usado na Casa OLEC, além de um kit de cervejas especiais. O cervejeiro que ficar em 3º lugar vai receber um vale compras no valor de R$500 e um kit de cervejas especiais.

Assista ao vídeo sobre os bastidores do Concurso Casa OLEC.

Concurso Olec 3 anos from Estevao Teles on Vimeo.

Sobre a OLEC
Criada em 2013, a Casa OLEC é um espaço de promoção da cultura cervejeira. Na loja física, os cervejeiros podem comprar todos os equipamentos e insumos necessários para a produção artesanal de cerveja. A empresa é representante e distribuidora oficial da Agrária, uma cooperativa agroindustrial que fornece maltes, extratos, fermentos e lúpulos, além de ser a maior maltaria comercial do Brasil. A indústria é referência de qualidade na produção de malte pilsen.

Além da loja física e do e-commerce, a Casa OLEC também oferece cursos voltados para cervejeiros (iniciantes e avançados) e promove encontros para que os amantes e produtores caseiros da bebida possam provar novos rótulos e trocar experiências. Toda primeira terça-feira do mês, a OLEC abre as portas do seu Taste Room para os cervejeiros - Terça na OLEC.

Em 2016, a Casa OLEC abriu uma nova loja em Petrópolis, dentro da fábrica da Bohemia, maior e mais completo centro cervejeiro do mundo, e tornou-se franqueável. Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, foi a primeira cidade a receber uma franquia Casa OLEC. Brasília será a próxima e a loja abre as portas já em janeiro de 2017.

Hop'n Roll comemora 5 anos com grande festa em Curitiba (PR)


Para comemorar os 5 anos de muita história e cerveja do Hop'n Roll, bar especializado em cervejas artesanais de Curitiba (PR), um local inusitado foi escolhido, a Sociedade Abranches (local que já foi palco de bandas como Nazareh, Matanza, Titãs, Marcelo Nova...).
Dia 17 de dezembro (sábado) o tradicional clube da cidade vai ser palco de uma grande comemoracão, regado a muito rock'n'roll, chopes artesanais, food trucks, tatuagem e muito mais...

Chopes

Serão mais de 60 chopes a preços promocionais. Chopes exclusivos, regionais, nacionais e importados.

Bandas
- AC/DC Alta Voltagem  facebook.com/altavoltagemacdc
- Specialites (ska) facebook.com/TheSpecialites
- Degringolados (rock) facebook.com/degringolados
- InRock facebook.com/cwbInRock
- Gui Tosin & Indiara Safair e Banda (blues)

Tatuagem
Presença do Silence of Art Tattoo Studio, dando uma colorida na pele da galera. (https://www.facebook.com/SilenceOfArtTattooStudio)

Super Estrutura
Ambiente com capacidade para 2.000 pessoas com uma grande área coberta e ainda um espaço ao ar livre.

Barbearia
Presença da Barbearia 041 para dar um trato na cabeleira e barba da galera!

Food Trucks
- Rio Grande (Hamburguers BBQ)
- Totopos (Mexicano)
- A Lata (hamburguers)
- Bravo Tratoria (Italiano)
- Food Truck Docês (em negociação)

Brindes
Sorteio de brindes no dia do evento!

Ingressos
1º lote - ESGOTADO
2º lote = R$ 35,00 (entrada + 1 vale chope Pilsen + caneco do evento + tirante Hop'n Roll)
2º lote com CAMISETA = R$ 50,00 (entrada + camiseta 5 anos Hop'n Roll + 1 vale chope Pilsen + caneco do evento + tirante Hop'n Roll)

Pontos de venda
Hop'n Roll (Rua Mateus Leme, 950)
Cervejaria Bodebrown (Rua Carlos de Laet, 1015 - Hauer)
Mercado da Cerveja (Rua Marques do Paraná, 484 - Água Verde)
Hop Garden (Rua Mateus Leme, 950)

Para mais informações, entre na página do evento.


Cateto comemora 3 anos de vida com grande festa!


O Cateto comemora 3 anos de vida (3 na Mooca e 1 em Pinheiros) e para comemorar em grande estilo uma festa está marcada para o dia 17 de dezembro (sábado). A comemoração será no Cateto Pinheiros, local que reflete toda a paixão deles por cerveja artesanal, comida, bourbon e música.
"A festa é um jeito de dizer obrigado a todos que passaram por aqui, fornecedores, clientes, muitos colaboradores e amigos de verdade.", comenta Edu Brandão, proprietário da casa.

Sem entrada ou ingresso, basta chegar e aproveitar a boa música, bebidas e comidas, pagando apenas o que foi consumido.

"Vamos celebrar uma parte importante da essência do bar que é a inspiração em saloons e juke joints sobre as águas dos pântanos da Louisiana. A ideia é fazer uma viagem completa pela gastronomia Cajun/Creole e espírito do sul ao som de delta blues, blues, jazz, jazz cigano, brass bands e washboards. Um misto de "mardi gras" e "stomp" no coração do mississipi!", comenta Edu.


Para Beber
O Cateto tomou a ousadia de chamar os amigos do "beer lab" Son Of a Beer e juntos pinçaram receitas e deram a elas uma personalidade única para criar quatro cervejas exclusivas que serão produzidas apenas 50lt para a data do evento. Uma colaboração e nano série assinada Cateto/Son of a Beer que você só vai poder beber aqui na data e nunca mais.

Todas as 4 serão vendidas no dia a R$ 15,00 (300ml)
Batizamos as ditas cujas assim:

Cateto/Son of a Beer Chá de Boldo
IPA com dry hopping de citra e adição de zimbro na maturação.

Cateto/Son of a Beer Teto Preto
Russian Imperial Stout maturada em barril de carvalho por 6 meses com adição de favas de baunilha.

E mais...
Dogma Mindless - American Blond Ale
Dogma Branca de Brett - Sour Ale com Brettanomyces



Para comer
Um menu especial inspirado nas baías da Louisiana e pelo sul dos Estados Unidos foi criado para o evento, na comida Cajun e Creole que nasceu da junção das influências de colônias européias e africanas que aproveitaram toda a riqueza natural que cercavam estes colonos para adaptar e criar uma gastronomia cheia de "soul".

São 6 pratos especiais em quantidades limitadas:
(O menu diário da casa será suspenso nessa data)

Jambalaya
Espécie de risoto/paella com inspiração caipira e creole que mistura frutos do mar, carne de aves e suína. Caudaloso arroz, em caldo de legumes, frutos do mar e porco, leva camarões, cubos de bacon, filés de frango em cubos e não menos importante a Andouille (um típico embutido defumado francês produzido em parceria com o charcuteiro da casa especialmente para o prato).
R$ 25,00

Boudin & Cornbread

Embutido típico, recheado com arroz, carne de porco e aves. Tempero suave e sabor muito rico (mais uma criação do charcuteiro do Cateto feita especialmente para a data. Servida com Cornbread (espécie de bolo/broa de milho salgado) e mostarda Dijon.
R$ 20,00

Cornbread & guizado de legumes (Veg)

Broa/bolo de milho salgado, servido com pimentões, tomates, grão de bico e espinafre, com molho de queijo raclete.
R$ 20,00

Crawfish Boil
Porção de lagostins refogados com milho verde, vibrante e muito autêntico.
R$ 35,00

Pork tenderloin
Porção de lombo enrolado com bacon glaceado com maple syroup e laranja, acompanhado de cajun dipping sauce.
R$ 30,00

Cajun bourbon bufallo
Porção de asinhas de franco douradas, servidas com molho bbq de bourbon e salsão.
R$ 25,00

Para Escutar
Aproveite toda a inspiração do blues, bluegrass, cajun, zydeco, brass, gipsy jazz e folk e preparem-se para viver as entranhas do Mississipi em shows popups durante todo o dia em mais de uma aparição de cada artista.

O Bardo

Wagner Creoruska Junior do Bardo e o Banjo e da banda Redneck Murder, faz versões, acústicas solo de delta blues, blues, folk e contry, performando o banjo, sua homemade canbox guitar.
www.facebook.com/wagnercjr

Familia Bonagente
Narayan Pinduca: Voz e Washboard, Rocio Romero: Voz e Saxofone, Rodrigo Borghi: Voz, Banjo e Violão executam com muito bom humor e simpatia Jazz, blues, folk: Muita música, muitas histórias, em uma pegada bem New Orleans.
www.facebook.com/bonagente

The Lonesome Duo
Rennan Martens e Luiz Masi voltam a encarnar a versão DUO, com vozes, violas e percusão, canções despretensiosamente Influenciados pela cena blues norte americana e por performances de rua, a dupla solitária bebe de fontes tradicionais do folk, música cigana, gospel, voodoo e todo o imaginário do submundo boêmio, seu repertório é composto por canções autorais, clássicos do blues e pérolas do cancioneiro popular norte-americano.
ww.facebook.com/pg/thelonesomeduo

Parabéns Cateto pelo sucesso e qualidade da casa! Vida longa aos amigos!

Confirme sua presença na página do evento e boa diversão!

Serviço:
3 Anos de Cateto
Data: 17 de dezembro - início: 14h
Endereço: Rua Francisco Leitão 272
Pinheiros - São Paulo


Cateto Pinheiros
from All Beers on Vimeo.

As Melhores Cervejas do Mundo: Bar em Copacabana inaugura seis torneiras fixas de chope


A Beer Store As Melhores Cervejas do Mundo, que fica em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, chega ao fim do ano com uma ótima notícia para os fãs de cerveja artesanal. A casa, aberta em 2015, deixa as chopeiras elétricas definitivamente para trás e passa a contar agora com seis torneiras fixas que vão despejar, diariamente, chopes como Bodebrown, Hocus Pocus e Mistura Clássica/Overhop, entre outras.

Procuramos cervejarias conhecidas pela excelente qualidade e aceitação junto ao público para fechar parceria com a gente. Sempre que estiver nas Melhores Cervejas do Mundo, o consumidor encontrará um chope dessas marcas. Vamos estar sempre rodando os estilos. E importante: uma torneira será sempre de um chope Pilsen, que é a porta de entrada para quem está começando no mundo da cerveja artesanal”, conta Bruno Lopes, proprietário da casa e beer sommelier.

Bruno Lopes - proprietário e sommelier

A câmara fria instalada na Beer Store tem comandos individualizados por torneiras, o que garante por mais tempo um chope de ótima qualidade e na temperatura ideal do serviço. Além disso, cada torneira tem sua própria controladora de pressão, respeitando a carbonatação apropriada para cada estilo.

Novas torneiras fixas

Algumas invasões nas torneiras de ótimas cervejarias brasileiras já estão acontecendo e também a presença de renomados chefs, convidados para preparar pratos que harmonizem com os estilos dos chopes escolhidos para o dia. Em eventos anteriores, alguns nomes como Jimmy McMamis, Allan Sales (Ogrostonomia) e Alexandre Lopes (Cozinha sem Frescura) passaram pela casa, atacando de ceviches peruanos, hambúrgueres e coxinhas gourmet.

“As invasões oferecem uma oportunidade única para quem deseja conhecer mais sobre uma determinada cervejaria, podendo experimentar diversos estilos. É quase como o que ocorre nas degustações”, diz Bruno, referindo-se ao evento que rola nas Melhores Cervejas do Mundo toda segunda-feira, quando o beer sommelier oferece aos presentes dois rótulos diferentes e um animado e informativo bate-papo sobre os mesmos.

15 dezembro, 2016

Devassa lança Growler para expandir a cultura do chope entre os consumidores


Depois de um ano de tantas mudanças, a Cervejaria Devassa, que faz parte do portfólio da Brasil Kirin, encerra 2016 com uma grande novidade. Com inspiração numa tendência mundial, a marca lançará o Growler 2 Go, um recipiente de cerâmica, feito especialmente para o armazenamento de chope. Com esta novidade, Devassa pretende colaborar ainda mais com a disseminação da cultura cervejeira no país e possibilitar uma experiência muito além do bar.

Disponível em todas as franquias da marca a partir do dia 20 de dezembro, a garrafa armazena até 2 litros de chope e possui tampa de pressão, que evita a perda de gás carbônico, conservando frescor, sabor e qualidade por até dois dias.


Hoje em dia as pessoas estão buscando cada vez mais levar as experiências para dentro de casa e com o Growler 2 Go sabemos que podemos oferecer exatamente isso para os nossos consumidores. Agora eles vão poder levar para casa o chope Devassa e usufruir quando quiser e da forma mais fresca possível”, afirmou Jussara Calife, gerente de marketing de Devassa.

Para garantir a qualidade do chope, toda vez que o Growler 2 Go for reutilizado, ele receberá uma tag com informações sobre qual data e qual estilo foi envasado. O consumidor poderá escolher entre as 5 opções de chopes especiais da casa: Loura Tropical Lager, Ruiva Tropical Red Ale, Negra Tropical Dark Ale, Sarará Tropical Weiss e India Tropical IPA. O valor do Growler 2 Go poderá variar de acordo com a região.

Vídeos & Fotos: All Beers Sessions 2016


Posso dizer que o All Beers Sessions 2016 foi excelente? acredito que sim! Teve diversão, ótimos chopes engatados e grande variedade de cervejas em garrafas e latas no 1º andar da casa! E teve mais... o dj Pilha que colocou todo mundo para dançar no subsolo, o Cateto e o Phillysteak que prepararam ótimos lanches durante todo o dia, confraternização entre cervejeiros, donos de importadoras/distribuidoras, leitores do All Beers, todo mundo junto comemorando o final do ano! Sim, foi uma grande festa que claro, pode melhorar muito mais e para 2017 já temos uma lista de melhorias.


Foram 200 pessoas que esgotaram os ingressos e passaram pelos três andares da casa durante todo o dia. Os agradecimentos começam pelos amigos da Son of a Beer que novamente nos acolheram muito bem! Aos leitores do All Beers que sempre apoiam e também lotam a festa todo final de ano. Cervejarias, importadoras e distribuidoras, muito obrigado pela parceria, apoio e presença na festa! A prova de que estamos todos juntos são as fotos e o vídeo no final deste post, muito obrigado e até 2017!


Chopes da festa:
- Founders Breakfast Stout (Beer Concept)
- Oskar Blues Old Chub (Beer Concept)
- Cervejaria Nacional Mula
- Way Cream Porter (Multibeer)
- Bodebrown Saison Au Rum Barrel Aged
- Bodebrown Cancun Mex-IPA
- Paulistânia IPA (Bier&Wein)
- Dádiva Venice Beach
- Brooklyn Lager (BeerManiacs)
- Maniacs IPA (BeerManiacs)
- Wäls Dubbel
- Adnams Ghost Ship (Get)
- Votus IPA
- Son of a Beer
- Timmermans Blanche Lambicus (Meara)
- Colorado Appia
- Caravan Summer Ale
- Czechvar Strong (Uniland)

Algumas imagens compartilhadas no Instagram

Garrafas/Latas

- Pistonhead (Get)
- Cervejaria Hoffen (Proença)
- Goose Island
- Cervejaria Backer (Proença)
- Weihenstephan (OnTrade)

- Cervejaria Hocus Pocus (Proença)
- Cervejaria OPA Bier (Proença)
- Cervejaria Daoravida (Proença)
- Cervejaria AN2 (Proença)
- Cervejaria Treze
- Cervejaria Micro X
- Cervejaria Madalena

Veja o vídeo da festa:
Amanhã colocaremos no facebook do All Beers todas as fotos tiradas no evento!

All Beers Sessions 2016 from All Beers on Vimeo.

Dogma lança dois novos rótulos em dezembro


Encerrando um ano de muitas novidades, a cervejaria Dogma resolveu fechar 2016 com mais dois rótulos em latas de 473ml, a Dogma Mindless e a Metamorphose.
As duas novidades chegam essa semana nos pontos de venda em todo país.

Dogma Mindless
Feita para refrescar! Esse é o objetivo da Mindless, uma American Blonde Ale com baixo amargor, mas uma carga generosa de lúpulos americanos no dry-hopping! Cítrica, resinosa e seca! Perfeita para matar a sede dos Hop Heads nos dias mais quentes!

A Mindless é para ser uma cerveja muito refrescante, para o verão mesmo! Ela tem teor alcoólico e amargor baixos, só que com um dry hopping bem alto, com bastante aroma de lúpulo, mas no paladar ela é muito leve.”. Comentou Bruno Moreno, mestre cervejeiro da Dogma e um dos sócios-proprietários.
Nome da cerveja: Dogma Mindless
Estilo: American Blonde Ale
ABV: 4,2%
IBU: 20
Formato: Lata 473ml e chope

Dogma Metamorphose
Inspirada pela novela “A Metamorfose” de Kafka, essa Belgian Saison tem como objetivo ser um antídoto para as preocupações diárias. Muitas vezes as pressões pelas quais somos expostos nos transformam, adoecem e entristecem. Nos faz pensar apenas nos problemas e não em nós mesmos, nos transformando em insetos que só existem para manter suas necessidades fisiológicas. Com uma base simples, mas com um perfil de fermentação e lupulagem deliciosamente frutados, a Metamorphose vem para nos reconectar ao que nos da prazer e alegria, ou seja, ao que realmente importa.

A Metamorphose é uma Saison com dry hopping do lúpulo Mosaic, uma cerveja leve mas com caráter frutado e condimentado do estilo, junto com o dry hopping para quebrar um pouco isso e tornar a cerveja mais interessante.”. Finalizou Bruno.
Nome da cerveja: Dogma Metamorphose
Estilo: Dry-Hopped Saison
ABV: 5,1%
IBU: 27
Formato: Lata 473ml e chope

14 dezembro, 2016

Casa Avós: cervejaria cigana abre as portas da sua sede


Com oito meses de mercado, a cerveja cigana de DNA caseiro batizada de Avós, nascida da paixão do publicitário e cervejeiro Junior Bottura pelas panelinhas e uma celebração ao vínculo que teve a sorte de cultivar com todas as suas avós e bisavós, abriu recentemente ao público a sua sede, a Casa Avós.

Instalado no térreo de um sobrado octagenário, na Vila Ipojuca, o aconchegante espaço reúne todos os produtos da marca, além das cervejas de cadeia refrigerada, que recheiam as geladeiras e todos os chopes Avós que podem ser levados para casa em growlers e crowlers. A Avós trouxe uma máquina semi-automática de enchimento de crowler, que permite que o chope seja enlatado na hora, em recipientes de um litro para o cliente levar embora.

Ocupam as prateleiras da Casa Avós, charmosos souvenirs cervejeiros como camisetas (R$69), meias (R$25), bonés (R$ 39), copos (R$20), abridores (R$20), kits com duas garrafas (R$39/300 ml cada) e geleias (R$20/unidade) feitas com a própria bebida. Aos sábados, das 16h às 22h, o local está disponível para eventos fechados.


Para dar ainda mais personalidade à nova fase da marca, a Avós terá engatada em seu Growler Station a partir de 20 de dezembro, uma receita exclusiva, vendida apenas no local como chope. A Vó Juca, nome que homenageia o bairro, é a versão da cigana para o elegante estilo Pilsen, cerveja de corpo baixo, dourada, de espuma clara, que apresenta aroma de lúpulo floral e herbal, atinge 14 IBUs (R$ 7,50/300ml) e no paladar o amargor fino dos lúpulos tchecos que se sobrepõe aos sabores de pão provenientes do malte.


Os rótulos da cerveja paulista que circulam nas torneiras da Casa Avós são: os primogênitos Vó Maria, a Baixinha Porreta (R$12,50 /300ml), produzida com o mesmo carinho de quando era feita nas panelinhas, é a leitura de Junior para um dos estilos mais adorados pelos hop heads, o India Pale Ale. Proporciona ao consumidor uma receita de visual âmbar claro, com 7% de teor alcoólico e 65 IBUs que conferem amargor intenso e elegantemente equilibrado. No nariz ela traz aroma cítrico que remete a frutas amarelas como maracujá e manga.

Já a sua Hoppy Lager, medalha de prata no South Beer Cup 2016, chamada de Vó Maria e o seu lado Zen (R$9,50/ 300ml), de cor dourada e espuma branca, entrega ao paladar uma cerveja de corpo baixo, com 4,9% de teor alcoólico e refrescante. Com amargor sutil garantido por seus 18 IBUs, elaborada com o mesmo dry hopping da Baixinha Porreta, técnica que adiciona lúpulos durante a etapa fria do processo de produção e confere riqueza de aromas, a cerveja alcança com leveza notas cítricas e frutadas.


A marca conta também com receita que funde as personalidades dos seus dois primeiros estilos, envasada em lata de alumínio e batizada de Vó Maria In Concert (R$11,50/ 300ml), trata-se de uma India Pale Lager  que  mescla os lúpulos Citra e Crystal, usados na  India Pale Ale e na Hoppy Lager  e ainda inclui a variedade Equinox . A ideia nasceu do evento promovido pela cerveja Avós que harmonizou jazz e blues com suas cervejas.
A Vó Maria In Concert  também está disponível em chope no espaço, tem visual dourado, amargor moderado, chega a 50 IBUs e tem 6,1% de teor alcoólico. As variedades de lúpulos usadas entregam ao olfato, citricidade e toque frutado e resinoso, que remete a pinho. Na boca a cerveja se mostra leve, refrescante e contempla o paladar com equilíbrio entre sabor de lúpulo e a presença do malte, que remete a notas de pão fresco.

Quem quiser provar algum dos quatro chopes da cerveja Avós, enquanto aguarda o serviço dos growlers e crowlers, ou conhece o espaço, é bem vindo e recebido com um mimo para beliscar, amendoins e tremoço.

Serviço
Casa Avós
Endereço: Rua Croata, 679
Telefone:3672-4282

Bruna Garcia - Coluna 01: Comer e Beber por São Paulo. Primeira parada: Cervejaria Nacional

Quando o Raphael me convidou para escrever, logo pensei em dicas de comer e beber em São Paulo e proximidades. Numa cidade como essa, onde a qualquer hora do dia ou da noite, você tem lugares incríveis para beber uma cerveja e comer algo gostoso, acredito que alguns merecem o destaque, sobretudo se, aliado a esses dois pontos, ainda tiverem um atendimento de fazer inveja a qualquer ranzinza por aí.

Esse é o caso da Cervejaria Nacional, um brewpub no movimentado miolo de Pinheiros, que abriu as portas em 2011 e é uma fábrica-bar 100% brasileira.

Fonte: Página da Cervejaria

Na carta, eles oferecem 5 cervejas artesanais fixas (Mula, Kurupira, Y-îara, Sa’si e Domina), todas batizadas com lendas brasileiras e diversas receitas sazonais ao longo do ano. Inclusive, algumas delas são tão aguardadas que eu voto para que sejam eternas, como a Ossanha, uma witbier com todo o perfil do estilo, cítrica, leve, aromática, com adição de camomila e pimenta da Jamaica, e é relançada todo final de ano e mais esperada que o 13º salário.

Fonte: Página da Cervejaria
Apareci por lá numa quinta-feira, dia quente em SP, ideal para um bate-papo entre amigos. Optei por experimentar duas cervejas sazonais que estavam engatadas e não me arrependi.

Arquivo Pessoal

A Garapa é uma colaborativa da Nacional com a Bia Amorim, sommelière de cervejas que, há anos, enriquece o mercado com a sua experiência e simpatia. É uma saison bem refrescante, aromática e um drinkability incrível. Na receita, adição de pimenta do reino e melado orgânico de cana de açúcar e, na maturação, manga e verbena. Vale cada gole! (R$ 18,00 – 330ml).

Gosto muito do cardápio da Nacional, ele inclui desde os saborosos hambúrgueres para os apaixonados (não deixem de provar o Maracanã ou o Mineirão, meu preferido) como opções vegetarianas e petisquinhos rápidos para você beliscar. Inclusive, se pintar uma dúvida do que harmonizar com o quê e eu não estiver por perto (sim, me chamem sempre!), o próprio cardápio vem com dicas.

Com a Garapa, escolhi a porção de crostini de abobrinha grelhada com queijo de cabra, tomate, manjericão e parmesão (R$ 36,00 – serve 2 ou 3 pessoas). Notas de dulçor em semelhança, além do parmesão complementar a picância do conjunto da cerveja. Sério, ficou incrível! Outra opção muito bacana para esse prato seria a Domina, a hefe-weizenbier ou cerveja de trigo, da casa.

Fotógrafo: Tales Hidequi

No segundo round, a escolhida foi a Cuca, uma berliner weisse com kiwi (R$ 18,00 – 330ml), Acidez na medida que pede um segundo gole, refrescância agradável e suave salivação, acrescido de um final do docinho da fruta. Honestamente, eu acho que essa cerveja é a melhor escolha para dias ensolarados!

Para acompanhar, minha paixão: pastel de queijo (R$ 26,00 – serve 2 pessoas ou 1 Bruna)! A acidez controlou a gordura da fritura e do queijo e deixou todo o conjunto ainda mais saboroso. Não poderia ter escolhido casamento melhor! De verdade, espero que a Cuca permaneça por mais tempo engatada para que todos tenham a oportunidade de provar. Outra boa opção para acompanhar essa porção seria a Y-îara, uma german pils da casa.

Fotógrafo: Tales Hidequi

Sendo um dos meus lugares preferidos em Sampa, não poderia ocupar outro lugar se não a estreia da coluna! E para terminar, a Nacional abriu uma casa em Ribeirão Preto também, minha amiga e parceira de blog, Debs Dezotti, esteve por lá e está preparando um texto bem legal sobre a visita!
E eu sigo passeando por aí para trazer as melhores dicas para vocês e quem sabe a gente se encontra nessas andanças, não é mesmo? ☺
Cheers,
Bruna (instagram: @bggarcia_)

Cervejaria Nacional
www.cervejanacional.com.br
https://www.facebook.com/cervejarianacional

@cervejarianacional – Se forem lá, não esqueçam de marca-los no instagram!
Endereço: Avenida Pedroso de Moraes, 604 – Pinheiros
Informe-se sobre o horário de atendimento. Valet no local 

Chope Rosa? Sim! Tap Takeover Rosa no Empório Alto dos Pinheiros


Quem disse que cerveja tem que ser amarela ou escura apenas? Prova disso é o tap takeover que acontece hoje (19h) no Empório Altos dos Pinheiros.
São oito chopes de coloração rosa engatados ao mesmo tempo, veja a lista abaixo e confirme sua presença na página do evento.

Cantillon Rosé de Gambrinus (Bélgica)
Dádiva Pink Lemonade (Brasil)
Dieu Du Ciel Solstice d'Eté (Canadá)
Blondine Rockfest (Brasil)
St Louis Premium Framboise (Bélgica)
Delirium Red (Bélgica)
Kriek Boon (Bélgica)
Júpiter/Landel/Frutas Silvestres Sour Frutas Silvestres - Lançamento! (Brasil)

13 dezembro, 2016

Way Beer e EAP lançam a cerveja EAPeated em garrafa


Lançada inicialmente em chope no Copenhagen Beer Celebration 2016, principal evento de cervejas artesanais da Europa, realizado no último mês de maio, a cerveja colaborativa EAPeated já está disponível em garrafas. O rótulo foi desenvolvido em uma parceria inédita entre a cervejaria paranaense Way Beer e o Empório Alto dos Pinheiros (EAP).

A EAPeated, foi disponibilizada em garrafas de 375ml, é uma Sour, de alta acidez, com 7,2% de teor alcoólico. Ela foi desenvolvida 100% com malte turfado (Peated). Na sequência, contou ainda com uma segunda fermentação com Brettanomyces na garrafa.
A EAPeated foi inspirada nos whiskeys single malt escoceses Laphroaig e Ardbeg. O resultado, ganhou destaque em eventos cervejeiros que participamos, e agora poderá ser encontrado em garrafas pelo país”, detalha Alessandro Oliveira, mestre cervejeiro da Way Beer.  

Cervejaria Mea Culpa lança novo rótulo em lata


A Cervejaria Mea Culpa, conhecida por seus rótulos inspirados nos sete pecados capitais, lança neste mês de dezembro a Avareza. A nova artesanal é uma American Lager, dourada, com corpo leve, aroma delicado de malte e lúpulo, amargor médio baixo.

Como todas as cervejas da linha, a Avareza foi formulada materializando seu pecado em forma de cerveja. Por isso a escolha do estilo e da embalagem: latão de 473ml. Além disso, o preço do produto é para muquirana nenhum botar defeito: ele custa R$ 10 nos pontos de venda. Os bares de São Paulo receberão ainda uma vending machine (máquina automática de vendas) para pagamento direto pelo cliente.

"A ideia é fazer uma cerveja de um estilo que as pessoas conhecem do dia a dia, mas com sabor, qualidade sensorial e cuidados na produção”, diz Rodrigo Louro, mestre cervejeiro. A Avareza não perde em refrescância, é puro malte, leva três lúpulos diferentes (de origem alemã e americana) e conta com longa maturação.

Com o novo rótulo a cervejaria quer mostrar que é possível oferecer uma cerveja artesanal de qualidade por um preço acessível – mesmo para os avarentos.

Vending Machine pelos bares
Para o lançamento da cerveja, a Mea Culpa criou uma vending machine, máquina automática para autosserviço, que vai ficar a cada semana em um bar diferente de São Paulo ao longo de três meses. Basta pagar com dinheiro e cartão e receber a própria lata já gelada.

Sobre a Cervejaria Mea Culpa
Localizada na cidade de Cotia (SP), a Mea Culpa apresenta seis rótulos fixos em linha vendidos em chope e garrafa. Além da Avareza, a marca produz a Gula, uma American Blonde Ale leve, seca, refrescante e com aroma de lúpulos nobres (Medalha de Prata no Festival Brasileiro da Cerveja em 2015); a Vaidade, uma American Pale Ale, de cor dourada, com doses de lúpulos aromáticos cítricos (Medalha de Bronze da Copa das Américas); a Ira, uma Imperial IPA, carregada nos lúpulos ingleses e americanos que resultam em uma combinação intensa de amargor, sabor e aroma; Preguiça, uma aromática Witbier com adição de sementes de coentro e camomila e lúpulo Sorachi Ace (medalha de ouro na Copa das Américas) e Luxúria, uma Imperial Stout potente e aveludada, com notas de café e chocolate.

Anchor Brewing (EUA): Três novidadades de São Francisco chegam no Brasil


A Anchor Brewing chega com três novidades para o fim do ano brasileiro, via importadora Uniland, são elas: Anchor Odeprot, Go West! IPA e Dry Hopped Steam Beer.

- Anchor Odeprot | West Coast Imperial IPA | 8,2% ABV | IBU: 80
Inspirada por uma nova tecnologia de dry-hopping desenvolvida pela primeira cervejaria craft nos Estados Unidos. Em 1975, a Anchor reintroduziu a arte de dry-hopping no EUA com o lançamento da Anchor Liberty.  Agora, continuando a tradição de inovação, os mestres da Anchor criaram a Odeprot – em um tanque que filtra continuamente a cerveja durante o processo de dry-hopping, garantindo assim uma extração máxima dos óleos essenciais para se obter um sabor de lúpulo intenso e um aroma divino!
Lúpulos:  Nugget, Apollo & Cascade
Dry Hop: Cascade, Exp No. 431, Citra & El Dorado


- Anchor Go West! IPA | 6,7% ABV | IBU: 75
A corrida do ouro na Califórnia começou em 24 de janeiro de 1848 quando foi encontrado ouro em Sutter´s Mill e nos meses seguintes mais de 300.000 pessoas foram para o oeste na esperança de conseguir novas fortunas - estes garimpeiros foram chamados de forty-niners devido ao ano em que esta corrida do ouro ocorreu (1849).
A grande maioria era de norte-americanos, mas também chegaram por lá milhares de pessoas da América Latina, Europa e Ásia e a frase “Go West! To see the elephant” (Vá para o Oeste para ver o elefante) era uma metáfora para atrair os grandes aventureiros.



Em 1849, as cervejas amargas da Inglaterra já estavam chegando na Califórnia e as cervejas com mais adição de lúpulo (dry-hopping) eram as únicas que aguentavam a longa trajetória.
A nova Anchor Go West! IPA é feita com malte de cevada de duas fileiras (2-row) e com um dry-hopping composto de 4 lúpulos americanos (Citra, Equinox, Calypso & Eureka), combinados com os dois lúpulos presentes na cerveja (Apollo & Bravo)!
Tanto lúpulo cria um aroma tropical complexo de cítrico com traços de pinho e o sabor começa com muito amargor, mas é logo seguido pela doçura equilibrada do malte.
Com uma cor dourada e alta drinkability, esta é uma IPA de 24 quilates!


- Anchor Dry Hopped Steam Beer | 5,4% ABV | IBU: 50
A California Common ou Steam Beer é considerada uma cerveja 100% americana e foi criada em 1896. Em sua composição, leva um tipo especial de fermento típico de Lager, mas a uma temperatura mais própria para as Ales.
A Anchor Brewing queria inovar usando como base a receita da California Common e, para isso, criou uma cerveja baseada na sua tradicional receita da Anchor Steam Beer com a adição de dois processos de dry-hopping (Cascade e Experimental No. 484).
Uma combinação equilibrada de uma cerveja maltada com uma grande dose de lúpulo.
Lúpulo:  Northern Brewer
Dry Hop: Cascade & Experimental No. 484

Sobre a Anchor Brewing:
A Anchor foi a primeira cervejaria artesanal dos EUA e sua data de fundação remonta à época da Corrida do Ouro, tempo em que o alemão Gottlieb Brekle chegou à Califórnia com sua família. Até hoje não se sabe exatamente o porquê do nome Anchor – provavelmente uma alusão à intensa vida portuária da região. É uma cervejaria que, como uma fênix, sempre renasce, resistindo aos caprichos da roda da fortuna. Passou pelo grande terremoto de São Francisco de 1906, pela Lei Seca dos anos 20 e chegou aos dias de hoje liderando um movimento revolucionário nos EUA – o renascimento das craft beers, ou cervejas artesanais.  A Anchor Brewing é a pedra fundamental desse movimento, sendo, até hoje, uma das mais respeitadas e autênticas micro cervejarias do país.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...