18 abril, 2018

Desvendamos a cervejaria Cozalinda


Foi em 2017 que ouvi falar pela primeira vez da cervejaria Cozalinda, de Floripa (SC), mas como suas cervejas não chegavam em São Paulo, ficava apenas na curiosidade e acompanhando todo movimento pela internet. Dias depois, conversando com o amigo Waldemar Stocco, de Campinas (SP), ele comentou que a distribuidora Data Bier queria participar da festa do All Beers (All Beers Sessions) e mandar um barril de chope da Cozalinda, cervejaria que segundo ele estava se destacando muito em Santa Catarina. Topei na hora e confiei, mesmo sem ter experimentado a cerveja.

Sim, tivemos a Cozalinda Curió no All Beers Sessions 2018 e queremos muito contar novamente com eles na festa de 2019, vamos torcer!

Mas foi em março que a Cozalinda decolou, e foi um dos grandes destaques do Festival Brasileiro da Cerveja 2018, em Blumenau.

Cozalinda comemorando as quatro medalhas que conquistou em Blumenau!

Agora a cervejaria começa a planejar melhor sua produção para ampliar a distribuição e conquistar novos territórios. Dois rótulos premiados em Blumenau chegam nos próximos dias em São Paulo, em lotes limitados, via distribuidora Data Bier, são eles: Cozalinda Praia do Meio e Cozalinda Pedras do Itaguaçu.

Cozalinda Praia do Meio:  Ouro no Brasileiro na categoria Mixed Culture Brett Beer. Uma ale refermentada em barril de carvalho francês (sem influência da cerveja anterior) e primando por uma cerveja que as bretta e as bactérias criem uma acidez balanceada e rica, com funk e um cítrico refrescante. Em segundo plano, notas da madeira, somente para dar complexidade à cerveja.
Carbonatação de leve a média, refermentada na garrafa, e com potencial de guarda.


Cozalinda Pedras do Itaguaçu: A cerveja foi a melhor belgian style lambic em Blumenau. Porém, não se trata de uma cerveja produzida como as cervejas belgas. O processo de produção foi adaptado para produção nas temperaturas brasileira, no intuito que se chegasse em um resultado sensorial aproximado. Utilizando-se de um processo de 3 fermentações distintas, duas em barris de madeira, mas focando na madeira como meio de fermentação para um resultado sensorial específico. Como resultado, aroma lembrando em muito as lambics belgas, mas na boca, uma citricidade adquirida no uso de uma Brettanomyces Bruxelensis brasileira que é fornecida pela Levtec. Envasada sem nenhuma (ou quase nada) carbonatação, busca manter a rusticidade típica das cervejas. Essa cerveja também tem potencial de guarda.


Para entender melhor o mundo da Cozalinda, o All Beers conversou com Diego Simão Rzatki, sócio-fundador, cervejeiro e blendeiro da cervejaria, veja como foi a entrevista:

All Beers - Como surgiu o nome Cozalinda e quando você resolveu criar a cervejaria?
Diego Simão - Cozalinda, para os manezinhos, é aquela expressão que a gente usa quando acontece algo bom. Exemplo: “Figueirense ganha do Corinthians na inauguração da Arena”. Foi algo muito bom jogar água no chope do pessoal. Então a gente queria que, quando a pessoa tomasse nossas cervejas, sentisse algo muito bom, uma felicidade, ou seja, Cozalinda!

All Beers - Qual é o DNA da Cozalinda?
Diego Simão - DNA manezinho, né quiridu! Tudo que a gente faz é buscar conectar nossas cervejas com Floripa. Traduzir o “gostinho de Floripa” em forma líquida.

Sempre quando pensamos em nossas receitas, pensamos: “eu tomaria essa cerveja em Floripa?”. A ideia então é sempre ter cervejas mais refrescantes e que harmonizem com nosso estilo de vida. Pensar em cervejas que vamos tomar na beira da praia, ou comendo um peixe, ou um marisco, ou berbigão, ou com outros frutos dos mar. Mas a ideia é ter cervejas de um lado refrescantes, mas também complexas (ou poderia se falar magia?). Em suma, a gente quer fazer cervejas que se encaixem em Floripa. E pensando em usar, não somente isso como direção na elaboração de cada receita, mas buscando insumos, como leveduras locais, adjuntos locais e por ai vai.

All Beers - Vocês são ciganos, certo?
Diego Simão - Sim, atualmente na Lohn (em Lauro Muller), mas estamos de mudança em 2018 e queremos ter um espaço próprio até fim de 2019 (pode acontecer antes).

All Beers - Tem algum bar ou tasting room?
Diego Simão - Sim, o Coza Bar, na parte continental de Floripa.

Um dos rótulos que chega em São Paulo em lote limitado

All Beers - As sour chegaram com tudo no Brasil, inclusive com a criação da Catharina Sour. Qual a sua opinião sobre o estilo brasileiro?
Diego Simão - Por estar em Floripa (que para mim indubitavelmente é a Capital Nacional da Cerveja Sour), acompanhei de perto o florescimento da Catharina Sour. E, é muito estranho ver toda essa polêmica. Obviamente não é uma Berliner, afinal, o estilo não admite fruta. É uma cerveja que usa (99% das vezes) a técnica de kettle sour e possui um perfil reconhecido pelo público, com uma acidez láctica (não se permitindo no perfil outros ácidos) que é balanceada com a adição de fruta. Tem N fatores que são respeitados por quem usa a nomeclatura. Uma combinação refrescante que é a porta de entrada perfeita para estilos mais complexos, como os que a gente executa. E pra gente isso é importantíssimo.

Agora... Se é, se vai ser, estilo ou não, não sabemos. O que sabemos que ela já desempenhou/desempenha o papel histórico de ser a cerveja que abriu, de forma massiva, as portas para o mundo das ácidas para uma grande quantidade de gente. Já houve outras ácidas. Outras kettle sours com frutas. Mas em nenhum momento, se viu esse coletivo coordenado, com cervejas que obedecem uma norma geral. E fez acontecer. Está sendo significativo. A história é pra quem coloca sua marca de forma de mudar o curso das coisas, a Catharina Sour está fazendo isso.

All Beers - Vocês estão chegando no sudeste agora. Foram uma das grandes atrações de Blumenau! O que podemos esperar da Cozalinda em 2018? Mais festivais e rótulos pela frente? Pretendem chegar em outros estados?
Diego Simão - Negu! Ainda não caiu a ficha com tamanho carinho que a gente tem recebido. Foi surreal, pra gente que é uma marca minúscula, ter tido todo aquele fuzuê no stand em Blumenau e tudo isso continuar, a gente estando aqui no All Beers! É louco!

Bom, além de SP, estamos indo para MG, DF, RS e talvez até CE. Só não estamos indo para mais estados pois, infelizmente, nossa produção é limitadíssima. Mas esperamos, ir paulatinamente, chegando mais longe.

Da Cozalinda vocês podem esperar mais rótulos, com certeza. Vão ser três frentes:
Frutas: Vamos repetir a Macacada (Wild Ale) e vamos produzir mais wilds com fruta. Fruit lambic, fruit sour e por ai vai.
Nosso projeto de sours em madeiras brasileiras vai ser aprimorado e ampliado. Sendo de forma colaborativa ou de forma solo.
E, estamos estudando no Flanders também. Já é um projeto antigo, que com desenvolvimento de técnicas próprias, devem culminar no que desejamos.



Quanto a Festivais já vamos participar do Mondial ai em São Paulo e estamos negociando mais um Festival também em São Paulo até o fim do ano. Tudo, claro, depende de nossa habilidade de ampliar nosso volume, o que para gente, que é minúsculo, é um pouco mais demorado e precisa de mais planejamento. Mas crescendo devagar, a gente vai também com segurança do produto que vamos entregando. Produzir cervejas, para gente, sempre é um jogo de paciência. Mas é muito prazeiroso.

Siga o instagram da Cozalinda: @cozalindafloripa

17 abril, 2018

Brasserie Atrium: casal brasileiro abrirá cervejaria na Bélgica


A história da Brasserie Atrium deve começar oficialmente no segundo semestre de 2018, mas foi em 2016 que o casal Paula Yunes (sim, ela mesmo, do reality show Cervejantes) e Valéry De Breucker resolveram se mudar para Bélgica e começar um grande história cervejeira.

Foi exatamente sobre isso que resolvemos conversar com eles, para entender melhor como começou a ideia de abrir uma cervejaria na Bélgica.

All Beers - Vocês estão morando na Bélgica, como tiveram essa ideia e como foi a adaptação?
Paula Yunes - Em 2015 viemos como turistas para Bélgica, paramos para visitar a Fantôme e o Val se deu muito bem com o Dany Prignon. Depois, no fim do ano ele recebeu o convite de vir para a Bélgica e brassar lá com ele. Com essa ideia em mente, descobrimos o curso de Gestão e Produção em micro cervejaria com duração de 2 anos que ficamos interessados. Então em 2016 o Val se mudou primeiro e depois de alguns meses eu vim também.

No início a adaptação não foi tão fácil pra mim pois eu não falava francês, não conhecia ninguém na cidade que falasse inglês, o Val estava sempre trabalhando e a família dele mora longe. Enfim, aquela adaptação básica com outra cultura.

Quando o curso começou, tínhamos aula de direito (direito pra mim em português sempre foi um pesadelo, imagine o direito belga e em francês! rs) o que era bem difícil. Mas rapidamente tudo melhorou, o francês foi evoluindo, comecei a trabalhar como voluntária e conheci várias pessoas da cidade. Depois peguei alguns trabalhos como caixa, hostess, e assim o meu francês foi se desenvolvendo. Estamos numa cidade pequena mas bem agitada e hoje eu amo muito morar aqui!


::As imagens utilizadas no canal "Beer People" produzido pelo casal, foram feitas nesta viagem em 2015 que Paula citou acima. Foi também nessa época que Paula Yunes virou colaboradora/colunista do All Beers.


All Beers - Vocês trabalham em uma cervejaria (ou trabalhavam), como foi essa experiência?

Paula Yunes -
O Val trabalhou como cervejeiro na Fantôme e hoje trabalha como cervejeiro na Brasserie du Clocher. Eu trabalhei por 8 meses numa cervejaria chamada Brasserie Les Fleurs du Malt atuando na produção. Foi muito interessante como experiência. No início meu chefe me ensinou muito, mas infelizmente depois de 2 meses ele faleceu de um infarte fulminante. O que foi um baque. A cervejaria ficou parada por algumas semanas e quando voltou eu acabei ficando bem sozinha cuidando da produção. Até que em dezembro decidi sair de lá pra poder me dedicar totalmente ao nosso projeto, pois desse lado as coisas estavam começando a andar mais rápido.
Além disso, no começo de 2017, comecei a atuar aqui como sommelier fazendo basicamente degustações e cartas de cerveja.
Nós também fazemos parte de um grupo de brassagens em eventos, nas casas das pessoas que nos convidam.

Valéry De Breucker e Paula Yunes na frente da futura cervejaria Atrium

All Beers - Sobre a nova cervejaria, quais os planos, localização e inauguração?
Paula Yunes -
Desde que a gente está junto, fizemos muitos planos cervejeiros. Um deles, o de ter um dia uma micro ou nano cervejaria. Quando nos mudamos pra cá, o objetivo era fazer o curso em dois anos, voltar e abrir uma cervejaria no Brasil. Porém, como fomos desenvolvendo um plano de negócios, um dia decidimos fazer uma reunião com a agência de desenvolvimento local para ver o que iam dizer. E lá elas adoraram a ideia e já sugeriram 3 endereços relativamente grandes no centro da cidade que elas achavam que estariam disponíveis.

Quando visitamos um deles (um espaço de 300 metros quadrados onde antigamente foi uma padaria) nós gostamos muito e descobrimos que o proprietário do local sempre imaginou uma cervejaria lá. Depois quando conversamos com o prefeito, também soubemos que ele já quis ter uma cervejaria exatamente lá!
Outra coincidência: esse lugar fica na mesma rua onde moramos (Rue des Brasseurs que significa Rua dos cervejeiros) e fica no centro histórico da cidade.

Tudo foi fluindo nesse sentido e hoje já faz 2 anos desde que começamos a pensar nisso, e faz mais de um ano que apresentamos o plano de negócio pela primeira vez. Depois disso, trabalhamos por vários meses no plano financeiro com bastante pesquisa, com o apoio da câmara de comércio local e a ajuda de um tio do Val que é auditor. Hoje estamos trabalhando para que as reformas comecem em breve, pois o material virá da Croácia em agosto. Se tudo correr bem, esperamos inaugurar no final deste ano.


All Beers - O que significa o nome Atrium e como será o perfil e estrutura da cervejaria?

Paula Yunes - Buscamos uma palavra em latim por ser a raiz do francês e do português e que representasse o conceito que imaginamos. O conceito é de um lugar que funcione como um portal, um endereço onde você entre e possa viajar nas cervejas, nas suas histórias e nas suas receitas. Onde possa também aprender a respeito. Então em um brainstorming com um casal de amigos surgiu a palavra atrium por significar átrio, hall de entrada.

Aqui em Marche-en-Famenne, estamos a 15 minutos da Fantôme (cervejaria que exporta 95% da sua produção e não está presente na região) e fora ela, não tem outras cervejarias artesanais.
Marche-en-Famenne é uma cidade pequena (especialmente para padrões brasileiros) de 17 mil habitantes, mas que é um polo comercial e atinge mais de 100 mil pessoas a menos de 15 minutos de carro. Então regionalmente queremos funcionar como uma entrada para o mundo cervejeiro artesanal.

Marche-en-Famenne - Bélgica

No prédio teremos ao fundo a cervejaria e na parte da frente um pequeno tap room com 6 torneiras. Além de degustações e eventos no local, queremos também oferecer cursos de produção caseira, de introdução ao sommelier, harmonização, e etc.
Ou seja, queremos realmente desenvolver a cultura cervejeira artesanal nesta região, como  conhecemos e amamos. Seremos uma cervejaria local com toques de cosmopolitismos através das receitas e ingredientes.
Por isso, como influência para a criação das receitas estamos bem livres, iremos fazer coisas bem variadas, com muitas influências do mundo todo e claro, muitos toques brasileiros!
Por exemplo, nós não teremos cozinha industrial, só vamos servir pranchas de aperitivos, especialmente queijos artesanais e charcutaria regional, mas além disso teremos a influência brasileira através de coxinha! Nada melhor, né?
Sigam a Brasserie Atrium no instagram: @brasserie.atrium

11 abril, 2018

Rafaela De Conti: Guia definitivo de bares em Porto Alegre com cerveja artesanal


Não é segredo que Porto Alegre respira Cerveja Artesanal, e eu como moradora da cidade e apaixonada por cerveja, “to” sempre atrás de boas e novas opções para beber. Recebo muitos pedidos de quem vem turistar, do que é legal visitar na cidade para beber boas cervejas.

Ano passado resolvi fazer a lista das minhas indicações e esta é a segunda edição dela, atualizada. A ideia era fazer uma lista pequena, mas como Porto Alegre tem muitas opções, acabou virando um pequeno guia turístico, com algumas percepções de cada lugar. Espero que ajude na escolha de vocês e me convidem para beber!
Vamos à lista:

Roister
Bar queridinho do momento. Além das 20 torneiras com chopes da casa e convidados, tem também ótimas opções de drinks. A culinária é moderna e o ambiente agradável e muito lindo. O sanduíche de Pastrami curado e defumado na casa é um sucesso e minha dica do cardápio.
@roisterpoa


Penz Bier Das Haus
É com certeza o bar mais querido dos cervejeiros da cidade e também de quem vem de fora. Visita obrigatória. São 18 torneiras sempre com muitas novidades, com cervejas da casa, sidra, kombucha e espumante. Ainda tem opções de cervejas em garrafa e hidroméis. Se for sozinho, o balcão é ótimo para bater um papo com a Rosária e comer o burguer maravilha do chef Ruiz. Tem um espaço para Workshops e sempre algo legal rolando. Vale conferir a agenda de eventos antes da visita e se programar para participar.
@penzbier


Regional
Loja que vende somente cervejas gaúchas, praticamente um ponto turístico cervejeiro de Porto Alegre. Além das mais de 250 opções de rótulos daqui, tem também 4 torneiras de chope e food trucks todas as quartas, quintas e sextas.
@regionalcervejas


Bier Markt Vom Fass
Bar com 38 torneiras de chope e uma câmara fria linda toda transparente, que faz sucesso. Além dos chopes, uma carta fixa de cervejas com vários rótulos de fora. Outra atração do bar é a culinária alemã, o Hacker Peter com a mostarda da casa é a minha dica.
@bier.markt


Distrito Porto Cervejeiro
É mais um dos meus favoritos! O bar fica dentro da cervejaria e as torneiras com chopes da casa e convidadas ficam a poucos metros dos fermentadores. É a melhor opção pra quem não conhece uma cervejaria e quer sentir um pouco do clima. O ambiente é bonito e aconchegante. Tem uma pizza maravilhosa e nas quintas-feiras costuma ter show de Blues.
@cervejasdistrito


Bier keller
Famoso pelo seu conceito de só entrar convidados e conhecidos, mas normalmente tranquilo de entrar. A casa não tem garçons, você tem acesso à cozinha, pega seu copo e escolhe a cerveja nas geladeiras ou na câmara fria. No final leva ao caixa as garrafas vazias e paga pelo que consumiu. Ambiente intimista e aconchegante, no inverno tem fogão a lenha e comidinhas deliciosas.


MaltStore
Bar bem tradicional cervejeiro, com opções de chopes, garrafas  e varias opções de cervejas importadas. É legal que abre já no almoço, da pra beber chope logo cedo. Ótimo também para o happy hour, com um cardápio cheio de delícias e minha dica é pedir o filé recheado com queijo, de comer babando.
@maltstore


Quentins
Bar temático para os fãs de Quentin Tarantino e também de cerveja artesanal. São 26 torneiras de chope, com opções para todos os gostos. O bar possui também uma carta de drinks com referências aos filmes de Tarantino. O cardápio é  bem variado e a porção de queijo frito minha favorita.
@quentinsbar


Perro Libre Tap Room
Bar lindo e super moderno. Os ambientes  são compartilhados e o self-service de chope é a grande atração. Você adquire o cartão no caixa, coloca créditos nele e serve a quantidade que quiser nas 10 torneiras de cervejas da marca. Tem também sempre algum chope de cervejaria convidada e opções em garrafas. A culinária é Andina, e os meus favoritos são o Sanduíche de Chola com pernil marinado na cerveja e a Saltenã de Carne.
@perrolibretaproom


Sociedade Líquida
Bar exclusivo de cervejas da Taberna MF, com 15 torneiras (ouvi que em breve terá mais 10!). Tem um conceito muito legal de zitogastronomia, harmonizando os pratos com a cervejas, que é também ingrediente da maioria deles. Além disso, outra atração da casa são os blends feitos na hora e combinando até 4 estilos de cervejas.
@sociedadeliq


4Beer Cerveja & Cultura
Mais um bar dentro da cervejaria! O ambiente rústico da fábrica e ao mesmo tempo acolhedor, tem mesas grandes para compartilhar e um balcão com vista para os tanques fermentadores que é uma ótima opção para quem vai sozinho.
São 20 torneiras de chope da casa e de cervejarias parceiras e no cardápio varias opções de comidinhas para acompanhar. O Burger eu ainda não provei, mas é bem famoso. 
@4beerpoa


Local's Only
Bar super descolado e urbano, com paredes grafitadas e uma pegada bem legal de reaproveitamento e sustentabilidade na decoração. Nas torneiras, além dos chopes da casa, tem ótimas opções de cervejarias bem conhecidas por aqui. O cardápio de comidinhas é delicioso, com boas opções vegetarianas e o destaque fica para o maravilhoso pudim no pote com doce de leite e coberto com farelo de cuca!
@localsonlycb


Valente Cervejas Artesanais
Loja de cervejas artesanais que acabou virando bar. O atendimento ótimo, e é perfeito para um ou vários chopes no happy hour. São 5 torneiras sempre com diferentes opções de chope e muitas cervejas e garrafas pra consumir ou pra levar.
@valentecervejasespeciais


Lagom
São dez torneiras com chopes da casa e é um dos poucos bares que abre também na segunda-feira, minha dica é ir neste dia. O Clube de Segunda atrai a galera que trabalha nos outros bares, o ambiente fica muito divertido. Tem algumas regras para este dia, por exemplo, não tem garçons e geralmente com apenas uma opção para comer. No restante da semana é tudo normal. No cardápio, minha dica são as deliciosas almôndegas apimentadas.


Zitas Tap House
Novíssimo local cervejeiro da Cidade Baixa, o Zitas é uma mistura de loja, bar e estação de growler. São 10 torneiras com chopes e mais de 70 opções em garrafas, além de uma carta de drinks feitos com cerveja. Para quem optar por levar, o sistema de enchimento de growler contra pressão ajuda a manter a qualidade. No cardápio, deliciosas pizzas feitas com cerveja na massa e opções de Food Trucks.
@zitastaphouse


Heilige Pub
Charmoso pub da Cervejaria Heilige, de Santa Cruz do Sul. Lugar lindo, com várias torneiras de chopes da marca e de cervejarias convidadas. É um dos bares que também abre no almoço.
@heiligepubpoa


Bárbaros Cervejas Especiais
Mais uma loja de cervejas artesanais que acabou virando bar e é ótima opção para o final da tarde. São 6 opções na torneira e várias cervejas em garrafa.
@barbaros_cervejas_especiais


Infiel Bar de Cervejas Artesanais
É um dos meus bares favoritos pra ir beber sozinha, pois fica em uma galeria bem charmosa e movimentada. Além das opções na torneira, tem muitas cervejas em garrafa e mini pizzas deliciosas e brigadeiros de cerveja.
@infielbar


Macuco
Bar sede da cervejaria cigana Macuco, comandado pelas queridíssimas Michele e Fernanda. É daqueles lugares de se sentir em casa. São opções de chopes e garrafas da Macuco, e minha dica é provar a OrangIPA, uma delicia de cerveja. Tem também burgers para acompanhar a cerveja e o bate papo com as meninas. 
@sedemacucopoa


Armazém Mazzola
Um charmoso armazém familiar, com várias opções de cervejas em garrafa e chope, e produtos coloniais deliciosos. A dica é passar lá para comprar os ingredientes do jantar e já aproveitar para alguns chopes no happy hour. 
@armazem_mazzola


Apolinário
Tradicional bar cervejeiro da cidade, com mais de dez anos. Clima de boteco, com boas opções de chope, uma carta grande de cerveja e petiscos deliciosos. Nos sábados costuma ter música ao vivo.
@apolinariobar


Armazém água de beber
Várias opções de chopes e garrafas e ótima opção para quem está no centro da cidade. O ambiente é aconchegante, comidinha simples e muito deliciosa. O sanduíche de costela desossada é meu favorito. Promovem também festivais com open bar de cerveja artesanal.
@armazemaguadebeber


Olivos
Bar super aconchegante e lindo, com opções de cervejas nacionais e internacionais somente em garrafas. Tem boas opções de drinks e um cardápio cheio de opções deliciosas. A tábua de frios é ótima para compartilhar e o risoto de limão siciliano é meu favorito.
@olivos657


BOD- Beer On Demand
É focado em enchimento de growlers, mas nada impede de beber alguns copos por ali, enquanto escolhe qual levar pra casa. Ambiente pequeno mas aconchegante, com ótimas opções de chopes.
@beerondemand


Beerporium
Loja de cervejas com muitas opções de rótulos nacionais e importados, sempre com novidades. O atendimento é ótimo e tem cervejas geladas para consumir no local.
@beerporiumpoa


Essencial
Opção para quem vai visitar o Mercado Público, parada obrigatória para um chope, ou vários. Tem régua degustação pra quem tá na dúvida de qual chope pedir e ótimas opções para o almoço.


Hidden
O único da lista que eu não visitei (por ser longe de onde eu moro),  mas quis incluir porque vários amigos já me recomendaram e é uma opção para quem esta pela zona sul da cidade. O bar conta com 18 torneiras de cervejas artesanais e é bem tradicional na cidade.
@hiddenbrewpub


Porto Alegre tem mesmo cerveja artesanal por todo canto, acho que até na farmácia vende. Então seguem algumas indicações de lugares que não são especificamente cervejeiros, mas que eu acho que vale a visita:

Butcher Burguer
Meu lugar favorito pra comer burguer por aqui, ambiente lindo, ótimo atendimento e tem cervejinhas artesanais delicia para acompanhar.
@butcher.burger


Agridoce Café
Cafeteria muito charmosa, é quase um ponto turístico de poa. Muitas comidinhas deliciosas, ótimos cafés e claro, opções de cerveja artesanal.
@agridocecafe


Justo
Quando você entra no lugar e ele cheira a pão quentinho, tem como não amar? O Justo é assim, ótimas pizzas, foccacias, sanduíches em um ambiente bem aconchegante e descolado, no Viaduto da Borges. Tem opções de drinks e chope artesanal.
@justo741


Vasco 1020
Bar que tem a carta de drinks como principal atração e uma infinidade de destilados. O ambiente é moderno e muito bonito! Claro que também tem cerveja artesanal, são 4 opções na torneira. Ótimo para beber um drink antes de sair para jantar.
@vascodagama1020


Ginkgo Floricultura e Café
Uma cafeteria dentro da floricultura, e em frente ao Parque Farroupilha. Chão de pedra brita e verde pra todo lado! Lugarzinho lindo para um café com bolinho, mas claro, também tem cerveja artesanal em chope e em garrafa.
@ginkgo788

Mondial de La Bière São Paulo: veja a lista das 30 primeiras cervejarias confirmadas


Como já falamos no começo do ano aqui, a cidade de São Paulo ganhou sua versão do Mondial de La Bière! O evento que será nos mesmos moldes da versão carioca, acontece entre os dias 17 e 20 de maio.
Serão 60 cervejarias ocupando 6.000 m² de área do São Paulo Expo, levando ao público mais de 500 rótulos, entre lançamentos e exclusividades.

O All Beers teve acesso e divulga agora a listagem das 30 primeiras cervejarias/marcas confirmadas:
Dogma, Urbana, Trilha, Dádiva, Júpiter, Antuérpia, Allegra, Backer, Importadora Meara, Baden Baden, Eisenbahn, Primata, Blondine, Leuven, Hausen Bier, Guarubier, Viguim, Kremer, Burgse Zot, Straffe Hendrik, Landel, Mafiosa, Bragantina, Cigana, Doktor Brau, Guerrilha, Los Compadres, Meu Copo.com, Way Beer, Synergy, Pelliconi e Hettwer.

"O Mondial de la Bière chega a São Paulo com o objetivo de se estabelecer na cidade, assim como feito nesses 5 anos de Rio de Janeiro. O evento traz o MBeer Contest, premiação exclusiva para cervejarias participantes do evento, além de uma curadoria de rótulos para oferecer aos visitantes sempre as melhores opções. Teremos também food trucks selecionados para agradar todos os paladares e uma oferta bem eclética na parte musical com músicos que estão iniciando sua trajetória.", comentou Gabriel Pulcino - Coordenador de Negócios da Fagga (empresa responsável pelo Mondial de La Bière RJ e SP).

Os ingressos podem ser adquiridos na categoria “cervejeiro solidário” pelo preço de R$ 66 e 1 quilo de alimento não perecível. O primeiro lote estará disponível até 30 de abril e inclui um brinde especial. É possível comprar pelo site www.mondialdelabieresp.com.br ou nos 18 pontos de venda distribuídos pela cidade – a lista também se encontra no site. Para quem quiser visitar os 4 dias do festival, há a opção dos passaportes promocionais (o da entrada cervejeiro solidário custa R$ 200).


O Mondial de La Bière deve receber em torno de 20 mil visitantes e as doações de alimentos recolhidas na entrada serão distribuídas para instituições de caridade. Na edição de 2017, sediada no Rio de Janeiro, foram doadas 42 toneladas de alimentos.



SERVIÇO
Mondial de la Bière São Paulo
Data: 17 a 20 de maio 2018
Local: São Paulo Expo – Pavilhão 8 + área externa (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – Vila Água Funda – São Paulo/SP)
Horário: Quinta (17) e sexta (18) das 17h à 1h; sábado (19) das 14h à 1h e domingo (20) das 14h às 20h.
Ingressos: Entrada Cervejeiro Solidário – R$ 66,00; Meia entrada por lei – R$ 60,00
Passaportes (pacote de ingressos para os 4 dias): Entrada Cervejeiro Solidário – R$ 200,00; Meia entrada legal – R$ 180,00
Site: www.mondialdelabieresp.com.br

10 abril, 2018

Embaixador da Sierra Nevada chega ao Brasil e com novo rótulo

Photo: Matthew Curtis

Steve Grossman, embaixador da cervejaria norte-americana Sierra Nevada chega essa semana no Brasil. Segundo Teles Hortencio, da Interfood importadora, representante oficial da cervejaria, a visita faz parte de um acompanhamento da marca no país.

Além disso, um novo rótulo será lançado na próxima semana, a Sierra Nevada Torpedo Tropical IPA (Untappd: 3.64), garrafa de 355ml, uma american IPA com 6,7% de teor alcoólico e produzida com os lúpulos Amarillo, Citra, Comet, El Dorado e Mosaic.


"A Sierra Nevada é um dos parceiros mais importantes da Interfood e sempre vem apoiando o nosso mercado, principalmente no que tange a disponibilidade de produtos exclusivos do mercado norte americano. A marca teve um bom crescimento em 2017 e sentimos que é a hora de mostrar a sua nova fase: mais arrojada, moderna e recrutadora. A Sierra Nevada foi a marca que começou uma revolução e muitos cervejeiros se inspiraram nela, então resolvemos organizar essa visita para celebrar e contar um pouco dessa história ao público brasileiro. Juntamos a isso, o lançamento da Torpedo Tropical IPA.", comentou Teles.

Esta será a terceira visita de Steve Grossman ao Brasil. A primeira aconteceu em 2013, ele participou de alguns eventos com uma comitiva norte-americana no país. A segunda visita aconteceu em 2015, com o início dos trabalhos na Interfood.


A Sierra Nevada está oficialmente no Brasil desde 2014/2015 e já chegaram os seguintes rótulos: Torpedo, Pale Ale, Hop Hunter, Big Foot, Narwhal, Otra Vez, Kellerweis e Oktoberfest.

DCBeer.com #BeerChat @SmithCommonsDC with Steve Grossman of @SierraNevada Brewery
from Smith Commons on Vimeo.

06 abril, 2018

Fim de semana com novidades no Brewdog Bar São Paulo


Não sabe o que fazer no final de semana? Então corra para o Brewdog Bar São Paulo, em Pinheiros,  para experimentar algumas novidades engatadas e também em latas e garrafas, todas em quantidade limitada.

Conheça as novidades:


- Brewdog Abstrakt 24 (aka AB24) - Imperial Baltic Porter (Untappd: 3.98)
- Brewdog Libertine Black Ale - Black IPA
(Untappd: 3.82)
- Brewdog Albino Squid Assassin - Red Rye IPA
(Untappd: 3.85)
- Brewdog Choco Libre - Imperial Stout
(Untappd: 3.75)
- Brewdog/Omnipollo I Wanna be Your Dog - Imperial Stout
(Untappd: 4.32)


Além disso, novidades também em camisetas na loja do bar.
A cervejaria escocesa Brewdog chega no país via importadora Interfood.



Serviço
Brewdog Bar São Paulo
Rua Coropé, 41 - Pinheiros
São Paulo - SP
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...