16 outubro, 2019

Fotos & Vídeo: Fomos conhecer o Mad Dwarf Tap House São Paulo

 
Recentemente o All Beers foi conhecer a nova filial da Mad Dwarf, localizada na Vila Madalena, em São Paulo. Fomos muito bem recebidos pelo amigo e gerente da casa, Kadu Mendes, nome conhecido do meio cervejeiro pelo ótimo trabalho no canal Brejada.


Seguindo o slogan "Brewing Ideas", a casa oferece 21 torneiras de chope, com ótimas opções e o Kadu já começou a mostrar algumas novidades engatadas, entre elas a MD Sour Pinot Noir, MD Flanders Classic (muito boa), MD Sol NE IPA, MD RIS, MD Belgian IPA Peaches Juicy e a MD Oloroso (a que mais se destacou na minha opinião - Barley Wine de 15% abv, envelhecida por 8 meses em barril. Complexa e licorosa).

Provamos também uma convidada do dia, a Judy Mango Milkshake IPA, da Salvador Brewing, que estava muito boa também!


Local agradável, amplo espaço interno e também com mesas na área externa!
O Mad Dwarf São Paulo é um ótimo local para você abrir sua mente e explorar estilos e leituras de clássicos que só a MD consegue!
Vale muito a visita! Já sabe, se estiver por lá, procure o Kadu para te ajudar nas novidades!
Voltaremos em breve!

Veja o vídeo que fizemos no Mad Dwarf Tap House São Paulo.




Serviço:
Mad Dwarf Tap House São Paulo
Rua Wisard 213 - Vila Madalena
São Paulo / SP

14 outubro, 2019

Salvador Brewing: Entrevista com Jocemar Gross


A cervejaria gaúcha, Salvador Brewing, está conquistando seu espaço aos poucos, se destacando em festivais com suas cervejas muito bem produzidas e com ações muito bem executadas, como é o caso do beer pack.
Veja a entrevista abaixo, feita com um dos sócios da cervejaria, Jocemar Gross!

All Beers - Como surgiu a cervejaria, o nome Salvador e a ideia de produzir cervejas diferentes?

Jocemar Gross -
A Cervejaria Salvador surgiu  em 2014 com uma Kombi beertruck dos irmãos Andrigo e Leonardo Salvador. Nesta época eles já faziam cerveja em casa e começaram a vender cervejas das marcas da região em eventos. Neste período surgiu a ideia de montar uma pequena cervejaria com Tap Room no mesmo formato de tantas outras que existem no USA.

Com a expansão do negócio, se juntaram ao projeto Fabiano Gasperin, Cláudio Costa e eu (Jocemar Gross).

A maioria das nossas receitas são inspiradas em referências adquiridas nas constantes viagens que nós fizemos desde 2012, e do passado, presente e futuro como homebrewer dos dois Cervejeiros Joce e Leo. Somos inquietos e sempre tem alguma ideia nova indo para as panelas.



Salvador Brewing (sócios):
Leonardo, Andrigo, Jocemar, Cláudio e Fabiano

All Beers - Vocês conquistaram um público geek bem significativo, desde o início era esse o plano ou aconteceu de forma natural?
Jocemar Gross -
Não, este nunca foi o plano inicial. Como o nosso foco sempre foi fazer cervejas de qualidade, queríamos reproduzir com esmero o que víamos no exterior. Nós fizemos desde Pilsners e Munich Helles até Triple IPA, RIS e Wheatwine de 15% ABV. Não nos limitamos a uma tendência, fazemos o que gostamos e acreditamos.


All Beers -
Em todo festival ou evento que acompanho, vejo a Salvador entre os destaques positivos. Você considera que isso ajudou a levantar o nome da cervejaria no país?

Jocemar Gross -
Sem dúvida. Os festivais são uma maneira de apresentar nossas cervejas para o mundo e encaramos isso como uma vitrine. Sempre procuramos separar e enviar o que temos de melhor. Como nossa produção é bem pequena (quem já nos visitou sabe), focamos na venda direta ao consumidor final aqui no nosso tap room e agora também através do e-commerce.


All Beers -
O 4-pack de vocês, vendido apenas na loja on-line e de forma limitada, é um sucesso em cada edição. Como surgiu a ideia?

Jocemar Gross -
Foi uma evolução do plano de negócio: venda direta ao consumidor final, evitando que nosso produto fique parado nas prateleiras e estreitando os laços de amizade com o cliente. Desenvolvemos uma embalagem que mantém a integridade do produto por mais tempo, minimizando os possíveis danos ocasionados no transporte.  




All Beers - Como está atualmente a distribuição da Salvador pelo país?
Jocemar Gross -
Entre 5% e 10% apenas da nossa produção é vendida em barris para PDVs parceiros e o restante se divide entre o e-commerce e o nosso tap room.
 

All Beers -
Como você encara o cenário atual de cervejas no Brasil?

Jocemar Gross -
Muitas oportunidades para quem se propor a fazer diferente. Em alguns casos, o diferente pode também ser o simples bem feito.


All Beers -
O taproom de vocês comemora 2 anos de vida em 2019, como foi a evolução da ideia até os dias de hoje?

Jocemar Gross -
Foi natural e sem pular etapas. O projeto já iniciou com o foco na venda direta ao consumidor. Nosso projeto é inspirado no modelo de algumas cervejarias americanas e se expandirá com a criação de novos pontos de venda e também através do e-commerce.




All Beers - Quais os planos para um futuro próximo e fale um pouco sobre o Salvador P-47!
Jocemar Gross -
O P47, é um espaço colaborativo entre 3 parceiros com a mesma visão de negócio. Ele será nosso segundo ponto de venda e nele teremos a companhia de dois restaurantes .

Uma nova fábrica está com o projeto em execução com previsão de conclusão em maio de 2020. Com a nova fábrica, poderemos aumentar a produção visando atender este novo ponto, aumentar a venda no e-commerce e também  para os PDVs.

Um novo projeto que estamos colhendo os primeiros frutos, é nossa linha Wood Aged Sour. As primeiras garrafas tem previsão de ser comercializadas até o fim deste ano.


All Beers -
Existe a ideia de abrir bares em outros estados?
Jocemar Gross - Sim, já recebemos propostas de expansão para outros estados, porém acreditamos ainda não ser o momento ideal. Pensamos que a demanda, deve vir antes da oferta. E que para cada passo que dermos, necessitamos ter a certeza que estaremos mantendo nosso padrão de qualidade e controle de processo.

Leia também:
- Entrevista com a cervejaria 5 Elementos
- Entrevista com a cervejaria Augustinus
- Entrevista com Steve Grossman (Sierra Nevada)
- Entrevista com Lucas Meneghetti (Roister)
- Entrevista com Koala San Brew

11 outubro, 2019

Cervejaria ZEV comemora 1 ano com grande festa dentro da cervejaria


Faz 1 ano que a cervejaria ZEV, de Suzano – SP, começou sua jornada comercial dentro do mercado artesanal brasileiro. Desde então, investimentos na fábrica e staff, muitas experiências e rótulos foram lançados, tudo para oferecer um produto de primeira qualidade para seus clientes. Chegou a hora de comemorar essas conquistas, e por isso no dia 19 de outubro (sábado), uma grande festa será armada dentro da cervejaria, para receber você e sua família, apaixonados por cerveja!

Serão doze torneiras, com rodízio de rótulos.
Lager, IPA, NE IPA, Session IPA, Witbier, Vienna Lager, Berliner Weisse e Dry Stout. Além de uma Double NE IPA com coco queimado lançada em primeira mão na festa. Destaque também para as cinco versões de Berliner Weisse com adição de frutas: uvaia, cambuci, jabuticaba, kiwi e frutas vermelhas, essas duas últimas foram lançadas recentemente!

"A realização de um sonho que aconteceu graças a ajuda de nossos parceiros e clientes. Uma jornada que começou com muito trabalho e dedicação para desenvolver os melhores produtos para o público apreciador de uma boa cerveja.”, comentou Mikhail Ganizev, sócio-proprietário da ZEV.

Na compra do ingresso você ganha 1 copo de aniversário da ZEV e acesso as torneiras de chope em sistema de auto-serviço com valores promocionais!

O que vai rolar na festa?

Música
- Dj Mozer
- Aminas a Trois
- Rodrigo Haddad

Comida
- The Burger Map
- Carburadores
- Rota do Acarajé
- Ice’n Roll Sorvetes
- Troppo! Geleias artesanais

Flash Tattoo
- Saddam Tattoo Studio

Transporte
- Vans partindo de São Paulo, São José dos Campos, Santos, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo. Consultar os valores nas redes sociais da ZEV.
- Van gratuita saindo da Estação de Trem de Suzano: (saídas de 1h30 em 1h30) - 12:00 -13:30 -15:00 -16:30 e 18:00.

A festa contará com espaço kids e estacionamento no local!



SERVIÇO
Festa de 1 ano da ZEV

Data: 19/10/2019
Horário: das 12h00 às 21h00
Local : Rodovia Índio Tibiriçá, 4631, Guaio, Suzano - SP (Na fábrica da ZEV)

Crianças menores de 12 anos a entrada é franca.
Adquira seu ingresso: bit.ly/zev1ano
Na compra do ingresso ganha: 1 copo especial de 1 ano

10 outubro, 2019

All Beers participa do Simpósio Senac de Bebidas 2019


Com a proposta de debater o futuro do mercado, o Senac São Paulo promove o Simpósio Senac de Bebidas, que acontece no dia 28/10.
O encontro acontece no Senac Aclimação e reúne especialistas, formadores de opinião e jornalistas dos principais veículos para refletir sobre temas inovadores e identificar oportunidades.
O All Beers foi convidado para participar do painel "
Comportamento do Consumidor: como as mudanças nas relações sociais e as tecnologias influenciam no consumo de bebidas?".

A programação conta com diferentes painéis para abordar assuntos relevantes para o segmento, integrando os conhecimentos dessa área e estabelecendo conexão entre os participantes.

A partir das atividades, o evento irá destacar a importância das bebidas no contexto da alimentação, hospitalidade e turismo, além de instigar profissionais a desenvolverem uma visão integral do setor.

Confira a programação e participe:

13:00 às 13:50 - Credenciamento e Café com os Autores:

- Agilson Gavioli, autor do livro Vinho com Design;
- Débora Kucher e Juliana Reis, autoras do livro Serviço Memorável em Alimentos e Bebidas;
- Rogério R. Ruschel, autor do livro O Valor Global do Produto Local;
- Juscelino Pereira, autor do livro Servir Bem é um Bom Negócio;
- José Marcio Fernandez Cunha, autor do livro Cerveja com Design.

13:50 às 14:00 - Abertura
14:00 às 14:50 - Painel:  O Valor da Regionalidade - produtores locais, cultura e turismo

No que o presunto de Parma, o espumante de Champagne e o queijo da Serra da Canastra se assemelham? Valorizam o seu território de origem e trabalham as tradições, saberes e fazeres de um povo. Para agregar valor ao produto ou serviço é necessário diferenciá-lo com uma identidade exclusiva. A identidade territorial diferencia, qualifica e protege o produto, agrega valor econômico, cultural, político e social, além de valorizar o território no qual é produzido, atraindo turistas, investidores e moradores que buscam qualidade. Os participantes desse painel irão discutir sobre como isso funciona na prática e como trabalhar na construção da identidade de um local.

Participantes: Alberto Nascimento (Cerveja Colombina), Evandro Weber (Weber Haus) e Fabrício Almeida (ZalaZ), com mediação de Rogério Ruschel.

15:00 às 15:50 - Painel: Comportamento do Consumidor: como as mudanças nas relações sociais e as tecnologias influenciam no consumo de bebidas?

Por que as bebidas entram e saem de moda? Por que é mais interessante postar uma bebida nas redes sociais do que outra? Quantos likes cada post vale? Por que parece que, de repente, todo mundo gosta de determinada bebida? Qual é o perfil dos novos consumidores de bebidas? Essas e outras questões serão discutidas por profissionais que focam a sua carreira em oferecer atendimento e serviços diferenciados para o cliente. Assim, compartilharão um pouco de suas experiências e perspectivas para futuro do segmento.

Participantes: Gabriela Monteleone (Grupo D.O.M.), Jessica Sanchez (Vizinho Gastrobar) e Raphael Rodrigues (All Beers), com mediação de Ricardo Castilho (Prazeres da Mesa).

15:50 às 16:30 - Intervalo
16:30 às 17:20 - Painel: Desafios da Valorização e Consumo de Bebidas Nacionais no Brasil

É comum ouvirmos frases que desvalorizam o Brasil sendo ditas pelos próprios brasileiros. Essa valorização da cultura e de produtos importados em detrimento dos nacionais é reflexo da construção histórica da nossa sociedade. O comércio e o serviço de bebidas são fortemente influenciados por esse contexto e ainda há muito consumidor brasileiro que nunca provou um vinho nacional ou não reconhece o valor da cachaça como um produto genuinamente brasileiro. Essas e outras questões serão discutidas por profissionais que têm em sua rotina diária a missão de conectar produtores e consumidores, levando a qualidade dos nossos produtos para o Brasil e para o mundo.

Participantes: Carlo Lapolli (Abracerva), Carlos Lima (Ibrac) e Eduardo Bassetti (Vinho de Altitude), com mediação de Cristiane Foja (Abrabe).

17:30 às 18:20 - Palestra: Novos Modelos de Negócio e o Protagonismo das Bebidas

Se as bebidas tinham papel de coadjuvantes em estabelecimentos de alimentação, cada vez mais elas ganham importância nos cardápios e espaço de protagonismo. Ação aborda como estabelecimentos têm inovado por meio de um trabalho focado na qualidade e na variedade das bebidas, além de um atendimento qualificado desse tipo de serviço, atingindo sucesso e diferenciação.

Palestrante: Marcelo Traldi Fonseca (Senac)

18:30 às 19:00 - Palestra: Tendências para o Segmento de Bebidas

Com consumidores mais exigentes, tecnologia presente em diversas áreas e diversidade de ingredientes e matérias-primas, o mercado de bebidas vem apresentando inovações e muitas novidades. Descubra os sabores, aromas, combinações, apresentações e os lugares onde essas bebidas estão sendo servidas. Nesse painel, será abordada a experiência da Galunion, consultoria especializada em foodservice. Pioneira no mercado de alimentação fora do lar, a empresa atua em toda a cadeia de valor e, com essa articulação, constrói uma visão ampla e atualizada do segmento e desenvolve soluções inovadoras e personalizadas.

Palestrante: Paula Su (Galunion)

19:00 às 19:05 - Encerramento do simpósio

13:30: às 21:00 - Feira de Produtores

Serviço:
Simpósio Senac de Bebidas
Data: 28/10/2019
Horário: 13:00 às 21:00
Preço: R$ 250,00
Local: Senac Aclimação
Endereço:
Endereco: Rua Pires da Mota, 838 - São Paulo
Telefone: 11 3795-1299

09 outubro, 2019

Avelar Jr – Coluna 19: Mr. Beer Mustache - dicas para beber bem (e mais barato) nos Estados Unidos

 
O câmbio não tem ajudado muito quem viaja aos Estados Unidos. Na volatilidade dos últimos tempos, com o dólar a quase 4 reais, qualquer economia é bem vinda.

Seguem algumas dicas para aliviar um pouco o bolso na hora de beber uma cerveja.
As caixas fechadas (4-packs ou 6-packs) são sempre mais baratas que as mixed packs. Muitas liquor stores têm disponibilizado a venda individual de cerveja para que você leve opções diferentes, mas é muito mais caro. Se você estiver viajando com um grupo o melhor é cada um comprar uma caixa fechada e depois vocês trocarem entre si.
As 4-packs ( ou 6-packs) também são mais baratas que as garrafas grandes. A Three Philosophers da Ommegang, por exemplo, custa na Total Wine US$ 9.99 a garrafa de 750 ml e US$14.99 o 4-pack. Quase o dobro de cerveja por apenas 50% a mais.

2) Procure por cervejas comemorativas fora da estação. Vejam bem…eu não estou dizendo para comprar cerveja velha. Estou dizendo apenas para, por exemplo, comprar uma cerveja de Oktoberfest em novembro ou dezembro. Este ano, em janeiro, eu comprei a especial de Natal da Fantôme com desconto de 5 dólares. Esta tática funciona melhor com cervejas importadas. As locais, geralmente, são recolhidas.

3) Tours em cervejarias são sempre uma ótima opção de passeio. Alguns são de graça e ainda oferecem tastings ao final. Mas confira antes, no site de cada cervejaria, a disponibilidade. Sobre o tour da Samuel Adams fica uma dica importante. Sente ao final da mesa comunitária onde são servidas as cervejas. A jarra vai passar por todos até ficar com você.


4) Taprooms (ou Beer Gardens) de cervejarias é sempre uma boa opção para beber uma cerveja fresquinha, mas o preço, geralmente, é o mesmo dos bares. A grande diferença vai ser na comida, onde os bares e restaurantes tem uma boa margem de lucro. Os taprooms, em geral, só vendem cerveja. Você pode trazer a comida, pedir um delivery ou comprar em um food truck (quase sempre tem um na porta). Todas essas opções saem bem mais em conta.


Espero que tenham gostado das dicas e que possam economizar alguns trocados na próxima viagem. O nome Mr. Beer Mustache é um trocadilho com o ótimo blog de finanças pessoais Mr. Money Mustache (http://www.mrmoneymustache.com/).
Vale conferir.
Cheers ;-)


Veja as demais colunas do Avelar Jr.

08 outubro, 2019

Flores invadem o cardápio do Hoegaarden Greenhouse para o Brunch Weekend

toast com avocado e cogumelos

O Hoegaarden Greenhouse, casa criada para os amantes de uma boa cerveja e da natureza, abre pela segunda vez em 2019 para o Brunch Weekend que acontecerá nos finais de semana do mês de outubro. Além disso, o cardápio exclusivo inspirado na primavera feito pelo chef Raphael Despirite estará disponível até dezembro. Serão oito opções, entre entradas, refeição principal e sobremesa, que compõem os pratos.

ovos mexidos com bacon e brioche

Inaugurado em março, o Greenhouse é aquele bar onde você consegue fugir e relaxar em meio ao caos urbano. Instalado no Largo da Batata, ele é decorado com 264 plantas de 38 espécies, um ambiente ideal para quem adora curtir uma boa bebida e comida de forma tranquila, bem com a cara da estação mais florida do ano.

O All Beers foi conhecer de perto o local:



Vale lembrar que em todos os dias o cardápio regular do Greenhouse também estará disponível.

Entre as opções mais pedidas está o The Gaarden Drink, famosa bebida feita com a cerveja belga Hoegaarden e suco de laranja, algo muito refrescante e ideal para um brunch em época de calor. O bar também é o único lugar do Brasil com a opção da Hoegaarden em chope.

toast com salmão
Serviço:
Greenhouse
Endereço: Rua Fernão Dias, 672 – Pinheiros
Horário de Funcionamento: 2ª feira: fechado / 3ª e 4ª feiras: 12 às 00h / 5ª a sábado: 12 às 1h / Domingo: 12 às 22h
Capacidade: 200 pessoas

04 outubro, 2019

Cervejaria Avós lança série Avós do Brasil


A cervejaria paulista Avós, lança no mês de setembro, uma nova série intitulada Avós do Brasil, com cinco novas receitas, todas da família Lager.
Via de regra, todo mundo tem uma avó. Duas, na verdade. Além de quatro bisavós. Mas nem todo mundo conhece ou conheceu todas.
A Avós foi fundada por um neto que teve a sorte de conviver com todas as suas. Não a ponto de ter idade pra tomar umas com cada uma das seis, mas o suficiente pra ter vontade de fazer uma homenagem pra elas em forma de cervejas.

Aí você diz “poxa, eu queria ter uma cerveja que homenageasse as minhas avós”. Bom, é pra isso que serve a série “Avós do Brasil”. São 5 cervejas diferentes com os nomes mais populares das décadas de 30 a 60.
Legal né? Não achou? Tá, então você pode customizar uma delas para ter o rosto e o nome da sua avó favorita.
Basta entrar no hotsite da Avós para personalizar a sua, são mais de 36.000 configurações para você criar o seu rótulo. Comprando 10 unidades, a cervejaria manda para sua casa.

Veja como funciona:



Entre agora para personalizar sua Avó em uma cerveja!
https://www.cervejaavos.com/avosdobrasil/

A Cervejaria Avós também foi um das escolhidas para o Festival de Cerveja do Pão de Açúcar, que começa em todo país no mês de outubro. Não esqueça de votar na cervejaria que você mais gostou: https://microcervejaria.paodeacucar.com/


Conheça cada um dos rótulos:

Vó Maria Hoppy Pils
Essa avó é  aromática, amargor limpo e na medida, nada que seja um exagero, afinal nossas avós todas tem bebabilidade (ou drinkability pra quem gosta de forçar o sotaque). Refrescante e douradinha, tem um que cítrico e frutado.
Estilo: Hoppy Pils
ABV: 4,9%
IBU: 15
Formato: Lata (473ml)

Vó Ana Wheat Lager
Essa avó poderia ter o peso de uma cerveja de trigo, mas a levedura lager dela funciona quase como uma dieta, deixando ela bem mais leve e refrescante, coisa que a semente de coentro e as raspas de laranja também ajudam.
ABV: 4,8%
IBU: 11
Formato: Lata (473ml)

Vó Terezinha German Pils
Essa avó gosta de dizer que tem sangue azul, afinal é feita só com lúpulos nobres alemães. Mas não se preocupe, isso não deixa ela metida, mas sim com um aroma bem floral, leve e muito equilibrada (apesar dela não parar  de matraquear sobre nobreza).
ABV: 4,4%
IBU: 22
Formato: Lata (473ml)

Vó Antonia india Pale Lager
Sim, a última palavra ali é “Lager", não "Ale”, então nem vem chamar de IPA - se bem que ela é a mais amarga da série. Uma avó marcante e surpreendente, daquelas que quem gosta, gosta e quem não gosta, no mínimo respeita.
ABV: 6,1%
IBU: 51
Formato: Lata (473ml)

Vó Francisca Dark Lager
Essa avó tem um estilo que não é muito conhecido no Brasil, mas na Europa ela é famosa. Inclusive, quando ela vai pra lá, ela fica em casa de parentes.  Escura, mas sem aquela torra e aquela doçura que as outras cervejas escuras têm.
ABV: 5,2%
IBU: 17
Formato: Lata (473ml)

Um pouco mais sobre a cervejaria e a série Avós do Brasil

01 outubro, 2019

All Beers Sessions 2020 com data definida!


Entramos no mês de outubro e os preparativos para próxima edição do All Beers Sessions, festa do All Beers, já começaram!
Como já é de costume, a festa do All Beers abre o calendário nacional de eventos cervejeiros no país, reunindo os leitores do blog e o mercado cervejeiro (mídias, importadoras, distribuidoras, cervejarias, donos de bares...).
O All Beers Sessions 2020 será no dia 25 de janeiro, no aniversário de São Paulo! O local? O mesmo das duas últimas edições, Espaço Escandinavo, na rua Job Lane 1030 - Alto da Boa Vista - São Paulo.


Já iniciamos os contatos com as cervejarias e em breve fecharemos o line up de 2020!
Sempre importante lembrar que os ingressos são limitados e em 2019 eles acabaram em 14 dias, ou seja, fiquem atentos no All Beers para as próximas novidades, que serão muitas!
O início da venda de ingressos deve acontecer no final de novembro.


Veja como foi a festa em 2019:

26 setembro, 2019

Entrevista com Amanda Reitenbach sobre as Mulheres no mercado cervejeiro


Faz 10 anos que o All Beers acompanha o mercado cervejeiro no Brasil e no mundo, e sempre abriu espaço para que preconceitos sejam destruídos. Gostamos de boas cervejas e aplaudimos empresas e instituições que respeitem a igualdade, e sempre será assim!

Quando vejo uma empresa com muitas mulheres trabalhando e exercendo cargos importantes, vejo ali um local de trabalho com a mente aberta e que acredita no potencial do ser humano, independente se é homem ou mulher. E sim, as mulheres estão conquistando seu espaço com mérito e qualidade, e que isso aumente cada vez mais!

A entrevista abaixo sobre as mulheres no mercado cervejeiro, foi produzida pelo Science of Beer, instituição em que Amanda Reitenbach é CEO. Pensei em transformar em um texto corrido, mas o conteúdo da entrevista está muito coerente e por isso compartilho ele na íntegra.
Boa leitura!
Raphael Rodrigues - All Beers

____________________________

Cerveja é coisa de mulher, pelo menos é o que nos diz a História. Das sumérias, mesopotâmicas e egípcias que fabricavam as primeiras cervejas que se têm registro; passando pelas “ale wives” inglesas, e pela figura de Hildegarda de Bigen, a monja alemã que descobriu as propriedades conservantes do lúpulo, a relação das mulheres com a cerveja sempre esteve atrelada ao surgimento e popularização da bebida pelo mundo. Até os gregos, pouco fãs da bebida, associavam a cerveja ao feminino enquanto o vinho era a bebida considerada masculina.

Ao longo dos séculos essa história mudou e a cerveja foi se tornando cada vez mais um território dos homens. Mas com a popularização das cervejas artesanais nos últimos anos e os movimentos por maior representação feminina em todos os espaços da sociedade, as mulheres passaram a retomar sua relação com a cerveja.

Além de consumir mais cerveja (e obrigar muitas marcas a rever seu posicionamento publicitário), as mulheres também aumentaram sua participação em diversas áreas do mercado cervejeiro: desde a produção até o serviço, passando pela gestão de negócios e o ensino da cerveja.

A cientista e empreendedora cervejeira Amanda Reitenbach é um exemplo desse movimento. Pesquisadora de cerveja desde sua graduação, tornou-se referência em gestão e análise sensorial. Em 2010, fundou o Science of Beer, instituição especializada em cursos sobre cerveja no Brasil.

Nesta entrevista, Amanda fala sobre sua experiência como empreendedora, comenta o cenário atual do mercado cervejeiro sob a perspectiva da participação das mulheres, e destaca os desafios e as perspectivas das profissionais que atuam em um setor que ainda é predominantemente masculino.

O Science of Beer é umas das principais empresas de cursos de cerveja do país, como é a participação das mulheres na instituição?

Amanda Reitenbach: Em termos de gestão, o Science of Beer é uma empresa feminina. Além da minha liderança, toda a equipe responsável pela administração e gestão da empresa é composta por mulheres. Acredito que nós somos uma das poucas - senão a única - empresa brasileira do setor totalmente feminina. Também temos uma participação massiva de mulheres na parte de consultoria, projetos e aulas, como embaixadoras e coordenadoras. E isso é, de certa forma, meu manifesto para dar mais oportunidade e voz às mulheres no mercado de cervejas.

Esse é um lado que eu tento dar muito destaque, pois essa é a minha maior forma de me posicionar como uma empresa feminista, de me posicionar como feminista: dando oportunidade e voz a outras mulheres. Essa foi a minha bandeira desde que eu abri o Science e vai vai continuar sendo sempre.

Os homens também fazem parte desse processo e nos ajudam a construir o que é o Science. São homens com bastante consciência e que também apoiam a causa das mulheres na cerveja.  Afinal, é importante entender que uma causa feminista não é feita só por mulheres, mas por homens também. E os homens que fazem parte dos projetos do Science sempre vestiram essa camisa de nos apoiar como mulheres e tentar construir um mercado mais igualitário.

Isso também se reflete na procura das mulheres por cursos de cerveja?
AR: Felizmente vemos cada vez mais mulheres procurando cursos, se identificando e fazendo da cerveja uma profissão. No caso do Science, percebo que muito disso vem da minha posição como mulher empreendedora, pesquisadora e cervejeira. Hoje eu recebo frequentemente mensagens de mulheres que se inspiram no meu trabalho.

Outras mulheres fortes cumpriram esse papel e abriram um caminho muito anterior ao meu e eu me inspirei nelas. Figuras como Kátia Jorge e Cilene Saorin, que têm décadas de experiência, foram essenciais para o amadurecimento do mercado e para inspirar outras mulheres. Uma mulher sempre se inspira em uma mulher e por isso a gente vê esse movimento crescendo mais forte.

Quais os principais desafios das mulheres que atuam no mercado cervejeiro brasileiro?

AR: Ser empreendedora e ter uma empresa feminina no setor cervejeiro sempre foi um desafio, e ainda é, principalmente quando as conexões e o trato diário são com homens. Porque ainda existe muito machismo e percebo isso em alguns projetos que executo.

Lógico que há também o outro lado. Muitos homens estão ajudando a construir um espaço mais inclusivo e a apoiar mulheres empreendedoras. Mas infelizmente, existe a parte de masculinidade tóxica em que um ou vários homens não toleram uma mulher empreendedora, não toleram que uma mulher lidere uma equipe ou ocupe uma posição de destaque em um projeto grande.

Eu já escutei isso, já vivenciei esse tipo de situação e há alguns anos luto para me posicionar profissionalmente e como mulher dentro de alguns projetos, mas nem sempre essa é uma batalha vencida.

Às vezes a masculinidade tóxica e o machismo acabam vencendo e isso é lamentável. E é por isso que a gente precisa de mais união, mais força das mulheres e maior consciência do mercado como um todo para entender que existem sim intervenções machistas que dificultam o trabalho das mulheres que muitas vezes se calam por medo do preconceito e das críticas que o mercado pode trazer.

De que maneira esses comportamentos machistas se manifestam?

AR: As mulheres são constantemente silenciadas de uma forma muito velada, não é uma coisa super escrachada e que todo mundo observa e vê. Mas já participei, por exemplo, de reuniões em que eu não podia falar, não podia expressar a minha opinião porque todos ali eram homens e estavam se posicionando de uma forma muito forte e não deixando que eu falasse.

Esse silenciamento não está apenas em uma fala direta, mas pode vir em atitudes e outras formas de manifestações. Nem sempre a pessoa precisa dizer que você não pode estar ali como mulher, que a sua opinião não é considerada. Abafar a sua opinião, não deixar você falar, não aceitar a sua ideia são formas muito claras de machismo.

Por isso, ter cada vez mais mulheres no mercado e contar com movimentos feministas em geral também a favor da cerveja é de extrema importância para que a gente lute contra esse preconceito que é velado e que todas as mulheres que trabalham no setor passam ou já passaram.

Precisamos falar sobre isso, precisamos trazer luz ao assunto para entender que não é mimimi, não é um a reclamação isolada. É uma situação que nós mulheres passamos e identificamos, e que a gente não quer que faça mais parte do trabalho de nenhuma mulher.

Você participa/já participou de iniciativas e projetos voltadas ao fortalecimento das mulheres no mundo cervejeiro?

AR: Sim, além do Science of Beer que eu considero a minha maior bandeira, eu também me envolvi em outros projetos. Aqui em Florianópolis eu comecei uma confraria com várias mulheres, a ConfraSanta, que hoje não existe mais. Depois tivemos uma outra confraria que chamava Flor de Lúpulo.

Eu também participei de um projeto com a Eisenbahn de uma cerveja colaborativa feita por mulheres. Foi a primeira cerveja colaborativa da marca e trouxe esse tom feminino e também a chamada dos homens para a causa.

E sempre, em qualquer trabalho que eu faço, eu tento buscar a participação de mais mulheres. Então às vezes é uma ação silenciosa, que não está escrita ou definida, mas que só pelo fato de você colocar mais mulheres atuando nesses projetos, já faz dele um manifesto.

E fora do país, qual é o cenário da participação feminina que você tem acompanhado ao participar de eventos?

AR: Com relação a outros países, o que eu observo na Europa e nos Estados Unidos, por exemplo, é que a participação feminina no mercado cervejeiro também está crescendo e que elas têm um apoio mais forte dos homens do que temos aqui. Então a questão da igualdade de gênero já é um pouco melhor entendida.

Nos Estados Unidos, a Brewers Association, por exemplo, faz uma campanha para que todos os seus trabalhos e projetos não façam distinção de gênero, raça ou orientação sexual. É uma bandeira muito forte da Brewers Association, que é a maior entidade de cervejeiros e que inspira tantos trabalhos no mundo.

Mas no Brasil, ainda precisamos de uma inclusão maior. E não só para as mulheres, mas para outras causas também: dos negros, das diversidades sexuais, de todas as outras minorias que precisam se sentir incluídas na fala da cerveja artesanal.  Por tantos preconceitos que a gente vê por aí, essa diversidade é uma questão que ainda não vemos sendo pautada nos ambientes cervejeiros.

Quais são as suas expectativas para o futuro das mulheres que trabalham com cerveja no Brasil?

AR: Acredito que mais do que expectativas, o que eu tenho são desejos e anseios de que o mercado cervejeiro (e isso vale para o mundo também) seja um ambiente de maior respeito pelas pessoas.

O meu desejo é de que a voz das mulheres cervejeiras não seja silenciada, que as mulheres tenham maior destaque em seus trabalhos, que possam assumir a liderança e ser escutadas e respeitadas.

Precisamos entender que capacidade técnica é algo que é independente do gênero, da orientação sexual, crença religiosa, cor de pele e tudo mais. Qualquer pessoa pode (e deve) trabalhar com cerveja tendo a liberdade e as portas abertas para expressar a sua capacidade técnica onde quer que esteja. Esse é o meu forte desejo para o futuro do mercado cervejeiro.

18 setembro, 2019

Vídeo & Fotos: Centro Cervejeiro da Serra - Teresópolis/RJ


No começo de setembro, o All Beers foi convidado para uma press trip para conhecer a fábrica de Teresópolis do Grupo Petrópolis, casa de cervejas como Black Princess, Ampolis, Weltenburger Kloster, Petra, entre outras.
Fazia parte do passeio também o Mondial de La Bière Rio, que sim, fomos e acompanhamos de perto os dois primeiros dias, veja aqui.

Antes de começar nossa viagem para o Rio, em julho, fui convidado para conhecer o bar sazonal da Black Princess em Campos do Jordão - SP. Pelo segundo ano, fui acompanhar de perto o movimento na temporada de inverno, veja como foi:



Agora sim, nosso destino é o Rio de Janeiro!
A visita para Teresópolis - RJ aconteceu na sexta-feira, dia 6 de setembro, depois do café da manhã no hotel, pegamos uma van para conhecer a fábrica do Grupo Petrópolis, a plantação de lúpulo e o Centro Cervejeiro da Serra, complexo que estava muito curioso para conhecer.

A viagem durou mais ou menos 2 horas, o clima estava frio e chuvoso, mas tudo bem, a certeza de que seria um grande passeio era grande, e foi!
Chegamos lá, tomamos um café rápido e já fomos para uma sala, aprender um pouco mais sobre o Grupo Petrópolis e suas marcas. Tudo muito bem comandado por Alex Di Caprio (foto abaixo), que nos apresentou cada detalhe da cervejaria com uma paixão gigante, muito bonito de ver alguém falando sobre cerveja desta maneira! Parabéns Alex e sorte nossa de ter acompanhado tudo isso ao seu lado!


Começamos o tour visitando os tanques das linhas artesanais do Grupo, todos os setores envolvidos na produção de uma cerveja, até o setor de envase.


Fomos então conhecer a plantação de lúpulo, em uma fazenda próxima da cervejaria. O local estava sendo preparado para a segunda plantação e em breve, para segunda colheita. Lá também provamos um queijo produzido no próprio local e claro, tomando algumas cervejas.


Logo depois, conhecemos o Centro Cervejeiro da Serra, local lindo, com muita história e claro, uma recepção incrível para todos os jornalistas e influencers que estavam lá no dia.


Provamos alguns experimentos nas torneiras, uma Imperial Stout, Sour e estavam todos frescos e muito bons! Se você tiver a oportunidade, visite!


Finalizamos o passeio desta forma, com a foto abaixo, do grupo todo! Passeio incrível, local super agradável e espero voltar em breve!


Veja o vídeo do passeio:



Fotos por: All Beers, Nelson Saldanha e Oscar Krau.

Goose Island cria bar secreto para celebrar nova safra da Bourbon County no Brasil


Como já é de conhecimento de todos, a safra 2018 da Goose Island Bourbon County já chegou no país! Se você ainda não sabia, entre aqui e leia sobre o assunto.


O que provavelmente você não sabia, é que a Cervejaria Goose Island resolveu levar essa cerveja para outro endereço da cidade de São Paulo, não apenas seu Brewhouse, no bairro de Pinheiros. Chegou a hora de conhecer o Bourbon Club! Mas afinal, onde fica esse lugar? Esse é um mistério que somente os consumidores poderão desvendar.

Como o próprio nome dá pistas, o Bourbon Club é um espaço exclusivo na capital paulista, onde as pessoas encontrarão como atração principal a Bourbon County Stout. O conceito gira em torno dos antigos bares speakeasy, muito famosos nos Estados Unidos, principalmente em Chicago, terra natal da Goose. Se antigamente esses estabelecimentos eram usados clandestinamente como alternativa à Lei Seca, agora, são usados para oferecer experiências exclusivas para as pessoas.

Para achá-lo, os curiosos terão de seguir algumas dicas nas redes sociais, no instagram Follow the Bourbon (@followbourbon). O espaço vai funcionar nos dias 20, 21, 27 e 28 de setembro, das 20h às 0h

Você tem 50 minutos disponíveis?
Assista o documentário abaixo sobre a história da Goose Island Bourbon County



E para marcar a abertura desse bar secreto, Goose Island preparou uma grande festa para o dia 19 de setembro. Com open bar de chope da cervejaria de Chicago e uma dose de Bourbon County garantida para cada participante, a festividade vai contar com um cardápio especial preparado pelo deBetti e muita música comandada por Filippe Dias Trio. O evento começa às 20h, e as pessoas podem garantir sua entrada pelo site: www.ingresse.com/bourbonclub. Mas como chegar lá? Fique tranquilo que o endereço será enviado ao e-mail cadastrado durante a compra do ingresso.

A Bourbon County é uma cerveja muito especial e rara. Então, sempre que trazemos uma safra nova para o Brasil, procuramos criar eventos especiais e exclusivos para as pessoas. A ideia é tornar a experiência de tomar esse rótulo ainda mais inesquecível”, afirmou Thiago Leitão, gerente de marketing de Goose Island.

13 setembro, 2019

Heineken prepara grande operação para fornecimento de chope no Rock in Rio 2019


Faltando pouco dias para o início do Rock in Rio 2019, a Heineken divulgou seu planejamento para o serviço de chope dentro da cidade do rock!
Marca patrocinadora oficial do Rock in Rio desde 2011, a operação para o fornecimento de chope é considerada a maior na história da marca e visa oferecer uma experiência premium ao público dentro do maior festival de música e entretenimento do mundo. Toda a montagem da estrutura será comandada pela área de Operações de Draft Beer do Grupo Heineken no Brasil.

Para que a megaoperação seja materializada, serão necessários mais de 15 dias de trabalho. A equipe Heineken irá instalar 1.700 metros de tubulação de aço inox, que por sua vez irão abastecer cerca de 100 pontos de vendas, entre pontos proprietários da marca e bares e restaurantes parceiros espalhados pelo evento e, com isso, garantir um alto padrão de qualidade ao servir a bebida na temperatura ideal.

Na edição de 2017, o All Beers foi convidado pela Heineken para curtir dois dias do evento e também aproveitar o lounge Heineken, veja como foi:



"Atuo em montagens de estruturas de serviço de chope para a marca desde 2000 e posso garantir que esta é a maior operação já feita na história da Heineken dentro de um evento musical em todo o mundo. Foram meses imersos em planejamento para garantir que os consumidores possam ter acesso a uma Heineken gelada onde quer que estejam no festival, claro que sempre bebendo com moderação", completa Fabio Antonio Scapin Cittolin, Gerente Nacional Técnico Draft Beer do Grupo Heineken no Brasil.

 Lounge Heineken no Rock in Rio 2017

Números:
- Investimento realizado para operação de aproximadamente R$ 2 milhões;
- Está é considerada a maior operação de serviço de chope na história da marca dentro de um evento musical;
- A marca irá deslocar 18 carretas da fábrica de Jacareí, que transportarão 32 mil litros cada uma;
- A marca irá utilizar 10.000 barris da fábrica de Jacareí, para garantir as operações de menor porte;
- Na Cidade de Rock serão instalados 1.700 metros de tubulação de aço inox que irão abastecer os mais de 100 pontos de venda, entre bares e restaurantes dentro do evento;
- A montagem da megaoperação levará mais de 15 dias de trabalho;
- Serão montados 100 bares, 300 (chopeiras e torres) e uma média de 600 torneiras de chope;
- A marca também levará duas BeerStation ao festival;
- 290 backpackers (mochileiros credenciados) também efetuarão venda de cerveja Heineken® no festival;
- A marca está preparada para vender 1 milhão de litros de chope durante o Rock in Rio 2019;
- Serão vendidos aproximadamente 2,5 milhões de copos de chope.

Rock in Rio 2017

Reciclagem de copos

Ainda dentro do Rock in Rio, com o propósito de estimular ações de impacto positivo e fazer um convite para que as pessoas sejam agentes de transformação da sociedade, as marcas Heineken e Natura firmaram parceria inédita para o Rock in Rio 2019, que é um dos poucos eventos do mundo que detém a ISO 20121 de sustentabilidade e incentiva a construção de um mundo melhor. A iniciativa transformará os copos de plástico, descartados durante o festival, em embalagens da linha Natura Humor. A expectativa que irá reciclar aproximadamente 2,5 milhões de copos, também evitará a emissão de até 15 toneladas de CO2 para a atmosfera.

12 setembro, 2019

Vídeo & Fotos: Mondial de La Bière Rio 2019


Chegou 2019 e também a sétima edição do Mondial de La Bière Rio de Janeiro. Acompanhamos o evento durante dois dias (quinta e sexta-feira) e todos lotados, apesar dos primeiros dias chuvosos, todos queriam provar boas cervejas!

O Mondial no Rio já se tornou aquele evento que sempre é bom, seja com chuva, sol, a expectativa sempre é alta e claro, a certeza de que iremos encontrar vários conhecidos!

Destaques?
Claro que tivemos e muitos!
Tiveram dois estandes que tive a oportunidade de ter realmente uma grande experiência e consegui provar vários rótulos: Three Monkeys Beer (RJ) e a Noi (Niterói).


Three Monkeys Beer:
Já direto ao assunto, minhas preferidas foram:
- Kiro Sour (com gengibre, mel e vinagre de maça) - muito boa!
- Paranoid About Maple Syrup & Coffee - sensacional!
- Gose Honey Dijon (com mostrada e mel) - bem equilibrada e fácil de tomar!
Provei também uma linha de Gose (Al Mare, Oriental, Thai Curry), além da Honey Dijon que já foi citada acima, todas muito interessantes e com suas peculiaridades!


A linha Paranoid (Russian Imperial Stout) estava ótima, cada uma com um perfil diferente: Coconut, Vanilla, Popcorn e Speculoos. Um kit com todas para levar, por favor!

Para fechar, provei a Wilder Mind ( Barrel Aged Sour Red Ale), com acidez agradável e bem equilibrada e a Saison Au Champignon, extremamente refrescante!
Obrigado ao amigo Leo Gil pela atenção de explicar cada rótulo!

Leo Gil - Three Monkeys Beer

Noi:
Fazia tempo que queria provar o portfólio dessa cervejaria de Niterói, e nada melhor do que um festival para tal experiência! E realmente foi uma grande experiência! Com uma recepção incrível da Bárbara Buzin e do cervejeiro  Guilherme Zanin, cada rótulo ficou muito mais especial com suas curiosidades e detalhes de produção!

Trio poderoso da cervejaria Noi

Minhas preferidas?
- Selvaggio Wild Ale
- Passione Flanders Oud Bruin
- Diavolo Specialty Honey Beer
- Asolo Brut IPA

Percebeu a semelhança?
É a própria Bárbara no rótulo da Selvaggio

Provei também as duas versões da WTF Dry Stout (Paçoca e Cocada), muito boas! A Noi que o Cupuaçu Abunda (Catharina Sour), Nuova Terra (NE IPA), Cioccolato (Imperial Stout) e a Bárbara (American Barley Wine).
Prestem atenção no que a Noi está produzindo, já é uma cervejaria muito premiada e está crescendo cada vez mais!
PS: Quando tiverem a oportunidade, perguntem para Bárbara, Bianca ou o Guilherme sobre a história da Diavolo e o fiscal do MAPA, imperdível!

As irmãs Bárbara e Bianca Buzin da cervejaria Noi

Tivemos também outros destaques como:
A grande estreia da Lagunitas IPA no Brasil, St. Patrick's Acid Trip e Irish Car Bomb, Belhaven Wee Heavy, Fuller's Beer One e Old Golden Hen no estande da importadora Boxer do Brasil.


 E mais, a nova lata da Brooklyn East IPA, Dádiva Dragon Flies High Pastry (RIS), UX Brew Imperial Stout, Unicorn American Stout, Juan Caloto NE IPA, Thirsty Hawks Farm Stouteada (Imperial Pumpkin Stout Bourbon Barrel Aged) e a Wonderland Timeless Porter.

 A dupla Juan Caloto


Agradecimento:
Ao Grupo Petrópolis que convidou o All Beers para acompanhar o Mondial de La Bière no Rio de Janeiro e também para conhecer a sua fábrica em Teresópolis, mas isso será um post para próxima semana - aguardem!)

Black Princess Tião Bock

Parabéns aos organizadores do Mondial de La Bière, pelo ótimo evento e clima incrível! Espero encontrar com vocês novamente em 2020, nas edições de SP e RJ! Cheers!

Veja o vídeo do Mondial de La Bière Rio 2019:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...