15 outubro, 2018

Cervejaria Daoravida inaugura Taproom na Mooca - São Paulo


Após o sucesso em Campinas, a Cervejaria Daoravida, criada pelo casal Wagner Falci e Michele Gimenez, chegará no dia 27 de outubro na capital Paulista. A unidade ficará no bairro Mooca e será um Taproom, com cinco torneiras, sendo produtos de linha, sazonais disponíveis e cervejarias convidadas que se revezam durante a semana. Assim como na unidade de Campinas, o Daoravida Taproom em São Paulo também não haverá opções de comidas, por isso, a cervejaria fará parcerias com foodtrucks e restaurantes próximos.

Fechamos parceria com ‘O Brutus’ uma casa de carnes vizinha do Taproom. O sistema será semelhante à parceria que temos com do restaurante ‘Rei do Cupim’ em Campinas. Teremos mesas ao ar livre onde os frequentadores poderão saborear as carnes enquanto degustam nossas cervejas’, esclarece o cervejeiro da Daoravida, Wagner Falci.

A marca, lançada oficialmente em novembro de 2015, surgiu de maneira despretensiosa. Agora, com cinco anos na atividade, o casal conta que começou a fazer cerveja no apartamento de 50m² em que moravam. A partir do sucesso, passaram a produzir com mais frequência na casa da família Stenico, amigos que, além de disponibilizarem o local, passaram a ajudar na produção.

Abrimos nossa primeira loja em julho, pois sentimos a necessidade de ter um espaço para trazer mais proximidade da marca com as pessoas que prestigiam nosso trabalho. Após o sucesso, vimos que precisávamos dar continuidade ao processo de expansão da marca. O Taproom é um modelo promissor para nós”, comenta Michele.

Para a inauguração da unidade em São Paulo, já estão confirmadas as seguintes cervejas: Canela Fina (American Blonde Ale), Labirintite (Belgian Tripel com candy sugar e raspas de casca de laranja), Minine (NE IPA), Akaya (
Brazilian Juicy IPA - colaborativa com a italiana Del Ducato) e a Black IPA.

Além de poder degustar as bebidas na unidade, os amantes de cervejas artesanais também terão a opção de levá-las para casa, através do Growler.
O growler se tornou uma saída para aqueles que não podem beber no momento pois estão dirigindo ou que estão com pressa. É só chegar, escolher a cerveja, que nós enchemos na hora”, comenta o sócio-proprietário Ricardo.


Para finalizar o cervejeiro comenta sobre as expectativas para a abertura da segunda loja da marca. “Imagina nossa alegria de levar a Daoravida do interior para São Paulo. A Mooca é um dos bairros mais tradicionais da capital paulista e sentimentos que o estilo de vida da nossa cervejaria tem toda afinidade com o bairro”.

Serviço:
Daoravida Taproom
Inauguração: 27/10
Local: Rua Celso de Azevedo Marques, 193 – Mooca - SP

09 outubro, 2018

Desvendamos o restaurante/cervejaria Roister


Se você é de Porto Alegre e do sul do país, já está acostumado com o nome Roister, mas caso seja de outra região, talvez o nome seja uma interrogação. Exatamente por isso, o All Beers foi desvendar o restaurante/cervejaria, aproveitando a chegada de alguns rótulos em chope na capital paulista.

Conversamos com Lucas Meneghetti, sócio-diretor do Roister e cervejeiro responsável pela produção. Em um passado recente, Lucas foi o vencedor do concurso BeerMatch da cervejaria Barco e que colocou a cerveja San Diego American Pale Ale no mercado.

Recentemente citamos o Roister aqui no All Beers, em um ótimo guia de bares de Porto Alegre, elaborado pela nossa colunista, Rafaela de Conti, que foi até o bar conhecer as instalações, e claro, provar as cervejas.


Chopes em São Paulo
A Roister mandou dois chopes para São Paulo, via distribuidora Hey Hops Beer (leia mais na entrevista abaixo). Com distribuição limitada para poucos bares, a
receptividade foi boa, segundo Lucas. A ideia é encontrar pontos de venda parceiros e que a distribuição se torne cada vez mais frequente, finalizou Lucas.


Entrevista com Lucas Meneghetti (foto acima):

All Beers -
Como surgiu o Roister? Ideia, concepção...
Lucas - O Roister surgiu da confluência de muitos desejos. Surgiu da vontade de produzir cerveja de forma autêntica, criativa e sem intermediários até o consumidor; da vontade de oferecer uma gastronomia artesanal e inventiva; da vontade de criar um ambiente com atmosfera agradável e oferecer um serviço de forma descomplicada. A gente queria ir além do “bar” e ser um restaurante que oferecesse gastronomia e cerveja, coisa que sentíamos falta por aqui.

Somos um misto de restaurante, bar e cervejaria. Temos grande valorização pelo artesanal e pela produção própria de nossos insumos (desde bacon, pastrami, picles, cerveja até nossos xaropes e bitters).

Temos 20 torneiras de cerveja compostas por cervejas nossas e de outras cervejarias, sempre valorizando qualidade, frescor e rotatividade. Logo, estaremos dispondo de uma adega com cervejas de guarda (gueuzes, barrel ageds, imperial stouts, barleywines, etc.).

Além de cervejas, nosso bar também abre espaço para coquetelaria criativa e vinhos, que vão desde espumantes da serra gaúcha até vinhos naturais franceses, tanto em garrafa quanto em taça.

A casa fica na esquina da Rua Vinte e Quatro de Outubro com a Avenida Nova york e recebemos cerca de 20.000 pessoas por mês.


All Beers - O Roister é um brewpub ou vocês produzem em outra planta (qual cervejaria)?
Lucas - Em função de localização e espaço, produzimos em outra planta. Mas temos vontade, para uma próxima operação, de ter a fábrica junto.
Já passamos por mais cervejarias e, hoje, em função da qualidade e da disponibilidade de tanques em tamanhos diferentes, estamos produzindo nos nossos parceiros da Bodoque.

All Beers - Sobre a gastronomia do bar, quem é o chefe que assina os pratos?
Lucas - Quem cuida da nossa gastronomia e com muito carinho é a Natália Tussi, nossa chefe de cozinha. É formada em gastronomia pela Unisinos, passou pelo premiado Floriano Spiess e foi professora do Pão dos Pobres. Embora tenhamos uma criação colaborativa, ela é quem comanda nossa equipe de quase vinte pessoas.

Nossa gastronomia se aproxima do que é conhecido como “new american cuisine”, uma gastronomia multicultural, menos regrada e que nada mais é do que a utilização de técnicas modernas e da apropriação de tipicidades e ingredientes de várias regiões do mundo para a criação de algo único. Soa familiar quando comparado com a cerveja, né?


All Beers - Como surgiu a ideia de entrar no mercado de São Paulo? Fale um pouco sobre os rótulos enviados.
Lucas - A ideia surgiu quando estávamos em um almoço no Roister junto do amigo Adéssio (Hey Hops Beer) distribuidor de cervejas em SP. Ele se empolgou com algumas cervejas e, mesmo sabendo da nossa - até então - produção exclusiva para o restaurante, levantou a ideia de levarmos, eventualmente, algumas coisas para São Paulo. E, daí, surgiu a primeira leva de cervejas do Roister para fora.

As cervejas que enviamos foram a German Pils e a Grape Success (DDH NE Double IPA com Moscatel).

A Roister German Pils é uma das cervejas que tenho maior carinho. Embora eu seja apaixonado por cervejas excêntricas, extremas e criativas, tenho cada vez mais valorizado (e sentido falta) de boas lagers. Essa cerveja tem coloração dourada, é límpida, tem corpo médio-leve e amargor médio e bem definido. Perfil limpo de fermentação, crisp, refrescante e que performa qualidades limpas de malte pilsen e perfil floral de lúpulo nobre. Sem diacetil e sem DMS. Não filtrada, com maturação de dois meses e carbonatação lenta. Foi medalha de prata no Concurso Brasileiro de Cerveja, em Blumenau - SC.


A Roister Grape Success é uma New England Double IPA fermentada com mosto de uvas Moscato, da serra gaúcha, e que tem duplo dry hopping de Hallertau Blanc e Galaxy. É amarela-dourado, turva, possui corpo médio-alto, amargor médio e frutado médio-alto. Tem notas de frutas tropicais, cítrico, lichia, floral e uvas brancas sutis, com leve mineralidade proveniente do mosto de uva. Foi produzida colaborativamente com o meu grande amigo e parceiro de anos de homebrewing, Estevão Chittó, da Suricato Ales.

All Beers - Pretendem envasar algum dia suas cervejas?
Lucas - Pretendemos; porém, entrar forte no varejo não é nossa intenção - uma das grandes virtudes que temos no nosso modelo atual é poder oferecer nossa cerveja sempre no melhor estado possível, frescas. Produzir e colocar no copo dos nossos consumidores.

Mas falando de distribuição, um primeiro passo é se consolidar com PDVs parceiros, que zelem pelos processos, serviço e armazenagem para que possamos entregar cervejas em barril. Em um segundo momento, quando tivermos um sistema de envase eficiente (o que falta por aqui), daí sim, começaremos a pensar em enviar cervejas para lugares específicos. Tanto cervejas frescas quanto cervejas de guarda e valorizando qualidade e não volume. Lembrando: nossa vontade em distribuir é do desejo de apresentar nossas cervejas; nosso foco é e continuará sendo o consumo e experiência no nosso restaurante. 


All Beers - No Untappd, vocês estão bem qualificados e com notas altas. Se trata de uma plataforma importante para a programação do Roister (Sobre produção de determinados estilos mais bem qualificados pelos frequentadores)?
Lucas - A gente valoriza o Untappd, tanto como cervejaria quanto como Certified Venue; porém, a escolha das cervejas que queremos e iremos produzir não é pensando nos determinados estilos que tendem a ter melhores classificações pelos usuários. Tanto que nosso portfólio tem vários dos estilos que tendem a ser piores qualificados.
Inclusive, este é um lamento meu, enquanto pondo de venda. Muita gente pauta suas produções pensando em Untappd e estilos que naturalmente tem uma nota alta. Embora todos os contra-argumentos - comerciais e não - é fato que isso inviabiliza a oferta de estilos de cervejas disponíveis.

All Beers - Tem algum estilo ou alguma cerveja em especial que não pode faltar nas torneiras do Roister?
Lucas - Um dos nossos maiores desafios na hora de compor o portfólio é garantir estilos e categorias que precisam ser ofertados e também manter nossas premissas de rotatividade e inovação. Por exemplo, na hora de compor a escolha das torneiras, sempre precisamos ter uma variação entre todas as escolas (embora a americana sempre predomine), entre cervejas de diferentes teores alcoólicos, diferentes colorações, lagers, sours, barrel ageds, etc. É sempre um jogo de composição. Consigo colocar estilos que substituam outros que geralmente são considerados triviais (como hefeweizens e witbiers). Mas, certamente, o único grupo/estilo que, de fato, não pode faltar são IPAs e suas variantes.


All Beers - Já pensaram em abrir o Roister em outros estados?
Lucas - Sim. É um desejo que sempre tive. Acredito que, em função da dinâmica do negócio e mercado, não tenha espaço para mais de um Roister em Porto Alegre. Um grande desejo é estabelecer um Roister em São Paulo e, futuramente, um em cada capital relevante. Somos novos, temos apenas 9 meses de operação, bastante coisa para acertar por aqui ainda, mas a discussão e o sonho de sair do estado já está rolando há algum tempo.

Serviço:
Roister
Endereço: Rua Vinte e Quatro de Outubro, 1454
Porto Alegre - RS
Instagram: @roisterpoa
Facebook: @roisterpoa

04 outubro, 2018

Sixpoint Brewery (EUA) volta ao Brasil!


Em junho de 2018, publicamos aqui no All Beers uma lista de cervejarias que não estavam mais no mercado nacional, e a Sixpoint era uma delas. Felizmente vamos riscar o nome dessa lista pois a Sixpoint já está em solo brasileiro e tem lançamento e chegada nos pontos de venda em todo país previsto para próxima quinta-feira (11/10).


Histórico no Brasil
A Sixpoint chegou por aqui em 2012, via importadora Lorch e com uma pegada forte dos lúpulos norte-americanas. Foi um sucesso em diversas importações. Com o fim da importadora, a marca ficou abandonada até que em 2016, a Brasart importadora anunciou uma nova importação, mas que na realidade nunca aconteceu.

Agora, em outubro de 2018, a marca volta ao país, com importação da Multibeer. São sete rótulos (lata e chope) que chegam nessa primeiro container, sendo que três chegam pela primeira vez e a Sixpoint Jammer, que veio para o Brasil, mas em pouca quantidade na época, ou seja, praticamente uma novidade.

Sixpoint Crisp
Estilo: Pilsner
ABV: 5,4%
Formato: Lata (355ml)


Sixpoint Sweet Action
Estilo: Blond Ale
ABV: 5%
Formato: Lata (355ml) e chope

Sixpoint Bengali
Estilo: American IPA
ABV: 6,5%
Formato: Lata (355ml) e chope

Sixpoint Resin

Estilo: Double IPA
ABV: 9,1%
Formato: Lata (355ml) e chope

Sixpoint Lo-Res - Pela 1º vez no Brasil!
Estilo: Session IPA
ABV: 4,5%
Formato: chope

Foto: Multibeer

Sixpoint Jammer
Estilo: Gose
ABV: 4%
Formato: Lata (355ml) e chope

Sixpoint Alpenflow - Pela 1º vez no Brasil!
Estilo: Helles
ABV: 4,9%
Formato: Lata (355ml) e chope


Sixpoint Righteous Ale Barrel Aged - Pela 1º vez no Brasil!
Estilo: Rye Beer (Barrel Aged)
ABV: 10,5%
Formato: Lata (355ml) e chope


O All Beers teve o prazer de entrevistar a antiga mestre-cervejeira da Sixpoint, Heather McReynolds, que esteve em 2015 no Brasil para uma série de eventos. Nessa entrevista ela fala sobre a cervejaria, a vantagem de usar apenas latas, entre outros assuntos.
All Beers conversa com Heather McReynolds - SixPoint Brewery (EUA) from All Beers on Vimeo.

03 outubro, 2018

Começa hoje a Oktoberfest de Blumenau, a maior da América Latina!


A maior festa alemã das Américas e segunda maior do mundo, a Oktoberfest de Blumenau começa hoje, dia 3 de outubro e vai até o dia 21. A Eisenbahn é patrocinadora oficial do evento pelo quarto ano consecutivo e chega esse ano com 12 bares entre os galpões e um camarote exclusivo.



O All Beers teve a oportunidade de acompanhar a festa durante os anos de 2015, 2016 e 2017, veja como foi cada ano:

Oktoberfest de Blumenau 2015
Oktoberfest 2015 - Blumenau (SC) from All Beers on Vimeo.


Cervejas artesanais e locais
Além da Eisenbahn que nasceu na cidade de Blumenau, outras cervejarias da região marcam presença, neste ano teremos: America, Antídoto, Bierland, Cerveja Blumenau, Das Bier, Hemmer's Bier e Wunder Bier.


Eisenbahn estará presente no evento com os chopes: Pilsen, Oktoberfest, American Pale Ale, Dunkel, Pale Ale, Rauchbier, Strong Golden Ale, Weizenbier, além do novo estilo Berliner Weisse. A cervejaria Baden Baden, de Campos do Jordão, também estará presente com seus chopes.

Oktoberfest de Blumenau 2016
Oktoberfest 2016 - Blumenau (SC) from All Beers on Vimeo.


A cenografia especial da Vila Germânica será a principal ferramenta para reforçar a essência da marca. Os quatro pavilhões e os bares de Eisenbahn recebem elementos, cores, contornos e texturas que se mesclam aos conceitos-chave da nova campanha da marca no país.



Em 2018, Eisenbahn prepara novidades para os visitantes da Capital Brasileira da Cerveja. Com o Desfile Eisenbahn, a marca vai homenagear a cidade e a população de Blumenau com uma experiência única, ao passear pelas ruas convidando o público a celebrar as tradições germânicas e compartilhar os bons momentos da Oktoberfest. Os desfiles estão marcados para acontecer nos dias 03, 06, 13 e 20 de outubro na Rua Sete de Setembro.



Oktoberfest de Blumenau 2017
É muito divertido acompanhar toda a festa nos galpões, mas um bom investimento é garantir o ingresso do camarote. Veja no vídeo abaixo o camarote Eisenbahn e o camarote do The Basement.




A Oktoberfest de Blumenau é um grande evento que atrai turistas de todo Brasil, sem falar da população da cidade que entra 100% no clima. Não deixe de acompanhar os desfiles nas ruas e claro, toda a movimentação na Vila Germânica.

Entre no site oficial e acompanha toda a programação, ou entre aqui e veja o guia completo de atrações.
Garanta o seu ingresso aqui.



Serviço
35º Oktoberfest de Blumenau - 2018
Data: de 3 a 21 de outubro
Local: Vila Germânica
Endereço: R. Alberto Stein, 199 - Bairro Velha Blumenau
Blumenau - SC

02 outubro, 2018

Bruna Garcia - Coluna 05: Comer e Beber por aí

Quem me conhece sabe que eu sou a defensora, há um bom tempo, da expressão: mundo no mudo. E até agora não encontrei lugar melhor para colocá-la em prática como na Cervejaria 3 Orelhas. Aquele lugar me traz paz, tranquilidade e uma boa dose de cervejas. Portanto, se você se animar de conhecer o brewpub localizado em Gonçalves, Minas Gerais, eu sugiro tirar um final de semana para isso e curtir tudo que a região tem a oferecer.


Para chegar nela, você pega uns 20 minutos de estrada de terra, nada de outro mundo para o que você vai encontrar lá. Um lugar calmo, alheio aos sons estridentes da cidade. O sinal do celular não é lá essas coisas, mas a vista é linda, o entardecer é de se apaixonar e mais do que isso, as cervejas são ótimas! Ah, leve casaco. Muitos. Faz frio.


Com 8 torneiras, o Bruno Faria – dono da cervejaria e o cervejeiro, oferece estilos clássicos das escolas cervejeiras e todos muito bem executados. Posso dizer, sem sombra de dúvida, que a german pils deles é uma das melhores que provei recentemente. Um pouco mais amarguinha que as tradicionais, mas super bem equilibrada com as doses de malte.


Medalha de prata no Festival Brasileiro de Cerveja, deste ano, a Farmhouse é encantadora. Ela leva adição de coentro, além das notas frutadas no aroma e sabor, acrescidos de agradável calorzinho que vem do álcool, equilibrados em 6,6%. Combina super bem com os embutidos de produtores locais que ele tem no brewpub para petiscar.


Agora, a grande estrela do passeio, na minha opinião, fica com a Tulha Negra. Uma Russian Imperial Stout extremamente potente, de presença no aroma e boca, além dos 10% de álcool que não te fazem acreditar que estão ali (o que provoca que você beba alguns copos até perceber que: opa, pera, tem mesmo esse tanto de álcool!).
Eu sugiro deixa-la para o final, aproveitando para observar o pôr do sol, no mais absoluto silêncio, ao lado de uma boa companhia, curtindo a goles de sossego. Desliga o celular! Aproveita tudo que esse momento pode te oferecer, depois você volta, posta e divulga. Mas, por enquanto, nesses minutos raros só faz o que te falei lá no começo: põe o mundo no mudo. Você merece.


Além dessas que eu destaquei, o Bruno ainda tem outras cervejas super legais, além de algumas sazonais que só rolam in loco. Elas já estão pintando por SP. Vale acompanhar as redes sociais deles e deixar no radar.


Ah, e antes que eu me esqueça: façam amizade com o Romário. Ele é o cara!


E, já que eu andava muito sumida, preciso voltar em grande estilo. Estive lá duas vezes, mas acabei me hospedando em Paraisópolis que fica super pertinho. Essas são as minhas sugestões de hospedagem.

Pousada da Praça Paraisópolis
(35) 3651-2458
(35) 9979-3576 (Vivo)
http://hotelpousadadapraca.com.br

Pousada Paraiso do Alto
(35) 99831-7480
http://www.pousadaparaisodoalto.com.br

Quem for e quiser trocar figurinhas comigo, eu estou no instagram!
Me chama lá: @bggarcia_ ☺
Cheers,

Infos sobre a Cervejaria 3 orelhas:
Estrada de São Sebastião das 3 Orelhas | Km05 | Gonçalves | MG
cervejaria3orelhas@gmail.com
Facebook.com/tresorelhas
@cervejaria3orelhas


Leia as demais colunas da Bruna Garcia.

27 setembro, 2018

Vai começar a 2ª São Paulo Oktoberfest!


A 2ª São Paulo Oktoberfest começa no próximo dia 28 de setembro e vai até o dia 14 de outubro.
As instalações já estão quase prontas, em uma área total de 23 mil m2, com Biergarten e Bierpark, onde acontecerão mais de 110 shows e apresentações culturais, além da nova tenda Sunset Bier, também coberta para receber 2.500 pessoas e onde serão realizados mais de 50 shows de rock.

Os ingressos para os camarotes já foram esgotados antes mesmo da abertura dos portões.
"A 2ª São Paulo Oktoberfest vai se transformar numa parte bastante divertida da Alemanha durante 11 dias de festa", adianta Walter Cavalheiro, fundador da São Paulo Oktoberfest.

A festa vai oferecer mais de 60 opções gastronômicas e mais de 70 rótulos de cervejas.



A previsão de público para a festa deste ano é de mais de 120.000 pessoas. Com isso, o consumo de bebidas e alimentos na festa deverá ser superior ao da primeira edição do evento, quando foram consumidos 110 mil litros de bebidas e mais de 26 toneladas de alimentos.

O Ingresso único tem, em seu 3º lote, o valor de R$ 60,00 (meia-entrada: R$ 30,00) durante os dias de semana e de R$ 80,00 (meia-entrada: R$ 40,00) aos finais de semana e feriado, com acesso a todas as áreas do evento, menos camarotes.


A cervejaria Eisenbahn é a patrocinadora do evento, assim como na edição de Blumenau (SC), e traz diversas atrações e sabores para os amantes de bebidas artesanais. A marca terá um lounge para relaxamento e onze bares espalhados pelo festival. Dentro do seu novo posicionamento, a marca convida os consumidores para descobrirem o mundo das cervejas artesanais por meio de diferentes estilos e parceiros. Com ‘Todos a Bordo’, a empresa une forças com outras cervejarias para, juntos, fazer este mercado crescer ainda mais. Um enorme variedade e quantidade de rótulos será apresentada no evento, sendo 9 da própria marca e mais de diversos parceiros convidados.


Rótulos da experiência cervejeira

Os amantes de bebidas artesanais que visitarem o Oktoberfest terão a oportunidade de aprender sobre a arte dos mestres cervejeiros e experimentar estilos bem diversos. As cervejas custarão entre R$ 10,00 e R$ 17,00, conforme a lista de rótulos abaixo:

Eisenbahn:
American IPA, Oktoberfest, Pale Ale, Pilsen, Strong Golden Ale, Weizenbier, Rauchbier, Dunkel e Berliner Weiss.

Baden Baden:
Vienna Lager, Cristal, American Ipa, Golden Ale, Red Ale envelhecida, Stout, Witibier.

Caatinga Rocks:
ESB, Tropical Stout.

DeBron Bier:
IPA

Way Beer:
Berliner Weisse, Gose

OverHop:
Hoppy Lager, American IPA

Ferinander:
Ale, Lager

LayBack:
Lager

Schornstein:
Ipa, American Pale Ale

Júpiter:
American Pale Ale

Invicta:
Weissbier, Session Ipa, Pumpkin Ale.

Berggren:
American Hop Lager

Landel:
Session American Ipa, American Wheat.

Dádiva:
Dunkel

Blondine:

Session IPA, Bohemian Pilsner

Juan Caloto:
Doublue IPA, Forte Claro IPA.

Avós:
Cerveja Forte Clara, Cerveja Clara.

3 Cariocas:
Session IPA, Blonde Ale.

Three Monkeys:
Sour Beer com Pitaya e Goiaba, Sour Beer com Pitaya e Morango, IWA.

Thirsty Hawks:
Brut IPA

Serviço
2ª São Paulo Oktoberfest
Local: SAMBÓDROMO DO ANHEMBI
Endereço: Rua Professor Milton Rodrigues, 102 – Santana
São Paulo – SP (entrada pelo portão 30).
Informações de como chegar no local e translados, entre aqui.

26 setembro, 2018

Todos os olhares para o Chile! Copa Cervezas de América 2018


Sim, a América do Sul em outubro estará de olho em Santiago, no Chile. O motivo? A Copa Cervezas de América 2018, que acontece entre os dias 8 e 13 de outubro, e que já é considerado um dos grandes concursos do continente e do mundo, com adesão de diversas cervejarias que serão premiadas com medalhas de ouro, prata e bronze.

Juízes renomados, mestres cervejeiros e amantes da cerveja de todo o continente já foram confirmados. Conheça os juízes de 2018.


Em 2018, a Copa se destaca com algumas novidades, como a inclusão do estilo Catharina Sour nas categorias de julgamento. Com isso, passa a ser o primeiro concurso internacional a julgar o estilo brasileiro.
"Estamos muito orgulhosos em sermos o primeiro concurso internacional a incluir este estilo local nas avaliações e receber esse tipo de amostras", destaca Daniel Trivelli, presidente da Copa.

Além disso, o concurso atualizou o feedback, oferecendo um layout mais didático e intuitivo. Também lançou uma programação que vai oferecer uma série de vivências cervejeiras para quem for ao Chile, a Semana Cervejeira, incluindo visitações a cervejarias, bares, harmonizações e degustações.


Tudo isso aliado a Conferência de Cervejeiros, consolidada por três anos na programação. Sobre a semana cervejeira, veja aqui a programação completa.
Para mais informações, entre aqui.

Conheça um pouco mais sobre a Copa!


20 setembro, 2018

Cervejarias Urbana e TRILHA engrossam a lista do Borefts 2018 - Holanda.


Você leu aqui no All Beers, no começo de setembro que a cervejaria Dogma, de São Paulo, estará  presente no Borefts 2018, em Bodegraven - Holanda. O evento é organizado pela cervejaria De Molen, que faz o convite para boas cervejarias no mundo. Mais duas cervejarias de São Paulo também confirmaram presença no evento, a Urbana e a TRILHA.

Conversamos com as cervejarias para saber o que elas levariam para a festa, veja abaixo:

Cervejaria Urbana

- Colaborativa com a De Molen que ficou 9 meses em barrica de Brandy espanhol.
- kriek
- Treta
(colaborativa com a Suburbana)
- Bolo de Rolo (colaborativa com Estrada e 5Elementos)
- Chocolate Hopping (colaborativa com a Dogma)
- Feira da Fruta
- RIS com maracujá
(ESPECIAL PARA O EVENTO)
,

Cervejaria TRILHA
- Trilha Borefts (ESPECIAL PARA O EVENTO)
- Uppumaango French Oak
- Trilha Bock
- Melonrise
- Tropicaos
- Faça Amor, Não Mande Áudio
- Memoá
- Coffee Time
- Gorilla Café & Baunilha

Foto: Embarque dos barris da TRILHA para Holanda - Borefts 2018
O Borefts Beer Festival 2018 acontece nos dias 21 e 22 de setembro, e claro que teremos cobertura do All Beers, com nosso colaborador internacional, Paulo Gomes. Acompanhe tudo pelo nosso instagram (@allbeersbr).

18 setembro, 2018

Linus De Paoli - Coluna 03: Coisas que aprendi na Alemanha (sobre cerveja)


Antes de me mudar para Colônia, na Alemanha em 2015, já havia feito várias visitas ao país em diferentes ocasiões, tanto a lazer como a trabalho. E em cada visita, aprendi um pouco sobre a relação do alemão com a cerveja, mas nada como morar 3 anos e fazer amigos para entender um pouco melhor como funciona essa relação.

Acho que a primeira realização é que em se falando de cerveja, existe uma diferença clara entre a Bavária e o resto da Alemanha. Nesses 3 anos, só fui 2 vezes para Bavária, então falo do pouco que vi e do que converso com as pessoas aqui em Colônia. E lá, por sua história e por ser berço da maioria dos estilos de Lagers (Dunkel, Helles, Märzen, Festbier, Weizen, Bock, etc.), aparentemente as pessoas estão mais acostumadas com diferentes estilos de cerveja coexistindo (principalmente os tradicionais). No restante da Alemanha, salvo algumas exceções onde estilos regionais ainda existem, predomina o estilo German Pils.


Fora da Bavária, não espere entrar em uma Brauhaus, bar ou restaurante, e encontrar uma carta de cervejas com várias opções de estilo, no máximo terão 4 tipos de cerveja: Pils, Weizen, Radler e Pils sem álcool. As exceções como disse acima, são cidades como Colônia e Düsseldorf onde o estilo regional (Kölsch ou Alt) predominam. Talvez isso seja mais fácil de entender quando passamos a entender que o alemão (ou pelo menos a impressão que tenho) é um povo conservador e dificilmente experimenta coisas diferentes. Geralmente uma pessoa que cresceu tomando determinado tipo de cerveja, seja ele Pils, Kölsch, Alt ou Helles, dificilmente irá experimentar outro estilo.

Esse pode ser um dos motivos porque o movimento de Craft beers esteja engatinhando por aqui (mas pretendo falar das minhas impressões sobre esse nicho de mercado depois). E não ponha a culpa na Reinheitsgebot porque também, fora da Bavária, ninguém liga muito para ela. Exemplo disso? É muito comum o alemão tomar cerveja misturada com refrigerante (Kölsch-Cola, Radler, etc.) ou até com suco de frutas (a popular Bananenweizen, sim acertou, Weizen com suco de banana).


Mas acho que o mais importante que aprendi dessa relação única de um povo com a cerveja, é que este é um meio, e não o fim. Quando um grupo de amigos se encontra, eles bebem cerveja, eles não se encontram para beber cerveja. As pessoas se encontram para desfrutar da presença umas das outras. Por isso talvez uma das características mais marcantes dos estilos de cerveja bávaros e alemães, seja a alta drinkability. Afinal quando você quer passar um bom momento com amigos e familiares, você não quer beber somente um sniffer de RIS envelhecida em carvalho ou aquela Imperial IPA super amarga. Nesses momentos, você quer conversar sobre futebol, política, contar piada tomando 2 ou 3 (ou 4 dependendo do fígado) litros do seu estilo favorito, sem pensar muito nele. E foi quando entendi isso que comecei a apreciar muito mais uma boa Kölsch ou Helles do que uma Double IPA ou RIS. Aliás, até me acostumei a sentar em uma brauhaus aqui em Colônia e perceber que a conta fechou com uns 40 copos consumidos em 4 pessoas.

Concluindo, uma das coisas mais importantes que aprendi aqui é que a cerveja é um meio de aproximar as pessoas, precisa ser fácil de beber em grande quantidade e não precisa perder o sabor para isso.

Leia as demais colunas do Linus De Paoli.

14 setembro, 2018

Cervejaria do ano e melhores rótulos do Slow Brew Brasil serão escolhidos pelo público


O festival Slow Brew Brasil recebe nesta edição 78 cervejarias de diversos estados do Brasil e do mundo. Serão mais de 270 rótulos focado na experiência do participante com os mais variados estilos de cerveja. Para 2018, além dos lançamentos, rótulos exclusivos e raros, os participantes poderão escolher a cervejaria do ano e os melhores rótulos do festival.
Serão dois tipos de votação, uma uma analógica com urnas físicas e outra votação digital em parceria com os aplicativos Brewer Stage e Untappd.

Na votação analógica, os critérios de votação serão baseados nos rótulos e atendimento nos estandes. Os votos serão depositados nas urnas (parte destacável que virá no Beer Pocket - guia de bolso entregue na entrada aos participantes).
Na parte digital, os participantes terão a missão de avaliar cada rótulo entre notas de 0 a 5 no Untappd (check-in). As notas serão filtradas pelo aplicativo Brewer Stage, que em tempo real mostrará o ranking. Para que o voto seja computado, os participantes devem selecionar o local Slow Brew Brasil na hora do check-in ou usar a hashtag oficial do festival: #SBB2018


Um festival precisa ter alma e identidade para não ser apenas mais um. Nós reforçamos a nossa identidade dando mais autonomia e experiência ao público que carinhosamente chamamos de Slowers. Eles já nos ajudam a convidar as cervejarias em cada edição e a melhorar itens estruturais do evento, agora demos a eles a missão de premiá-las. Comentou Kátia Pereira, Curadora do Festival.

Os dois aplicativos são gratuitos e podem ser adquiridos no Google Play ou Apple Store. A premiação acontece a partir das 18h, no palco principal no dia 03/11/2018. Os vencedores serão premiados com taças feitas artesanalmente e medalhas.

Para saber mais informações do festival e da votação acesse:
https://www.slowbrewbrasil.com.br/festival2018/#vote



Serviço
Slow Brew Brasil 2018
Data: 03 de novembro de 2018
Local: PRO MAGNO
Endereço: Av. Profa. Ida Kolb, nº 513 - Jardim das Laranjeiras, São Paulo - SP.
Site: www.slowbrewbrasil.com.br/festival2018/#
Instagram: @slowbrewbrasil

11 setembro, 2018

Cantillon Zwanze Day 2018: Evento chega pela primeira vez no Brasil!


A cervejaria belga Cantillon é um daqueles nomes cultuados no mundo todo, seja por sua história, tradição ou qualidade das cervejas!


Fato é que anualmente eles organizam o Zwanze Day em diversos bares pelo mundo, e pela primeira vez o evento chega no país, para ser mais exato, no Empório Alto dos Pinheiros, na capital paulista!
Nessa edição de 2018, o evento acontece no dia 29 de setembro, em 70 bares distribuídos em 22 países. O Brasil entrou pela primeira vez nessa lista, junto com China, Polônia e Rússia.

A Cantillon Zwanze 2018 tem lote único e o barril é limitado a uma unidade por bar participante. Ela vem para o Brasil de transporte aéreo, junto com os outros 4 rótulos de Cantillon.

Como se trata de um evento exclusivo e disputado, tickets serão vendidos com antecedência. Com o ticket em mãos, você tem direito de degustar a Zwanze 2018 (200ml) e a um copo comemorativo (de vidro). Todo o restante não está incluso, outros chopes, cervejas, comida, camiseta serão cobrados separadamente. O valor do ticket é R$ 190,00.
Entre aqui e garanta seu o seu!




No evento, além da esperada Cantillon Zwanze 2018, rótulo servido apenas na festa, outros rótulos da Cantillon e convidados estarão engatados nas torneiras do EAP, veja na lista abaixo:


Cervejas Cantillon que estarão plugadas (chope):
- Zwanze 2018 (somente para que tem o ticket)
- Geuze Cantillon
- Kriek Cantillon
- Rose de Gambrinus
- Grand Cru Bruocsella

Convidados (chope):
- Dogma Tart Blond
- Cozalinda Praia do Meio IPE
- Cozalinda Praia do Meio Jequitiba
- Framboise Boon
- Lambiek Boon
- Oud Kriek Boon
- Hof Ten Dormal Zure Sour
- Oud Beersel Vieux Lambiek
- Oud Bersalis Sourblend
- Verzet Kamaredski Balsâmico
- Verzet Oud Bruin


Como funciona?
A Zwanze 2018 será servida exatamente às 11h da manhã, no mesmo horário em que a Bélgica e os demais bares começam o evento. Com o ticket, seu copo de Zwanze está garantido, pode chegar em qualquer horário, até 17h. Todos os outros barris são únicos e serão servidos enquanto durarem.
O EAP continuará aberto até a 1h (horário normal).


A entrada no EAP estará liberada para todos os clientes e a cozinha estará funcionando normalmente.

Conheça um pouco mais sobre a Cantillon:



Serviço

Cantillon Zwanze Day 2018
Data: 29 de setembro (sábado)
Local: - Empório Alto dos Pinheiros - São Paulo - Brasil
Endereço: Rua Vupabussu, 305, Pinheiros.
Infos: https://www.facebook.com/events/492542541224639

06 setembro, 2018

Brewers Association grava vídeo para inauguração da Cervejaria Tarantino


Acontece amanhã, dia 7 de setembro, a inauguração oficial da Cervejaria Tarantino, na Rua Miguel Nelson Bechara, 316 - Bairro do Limão. Para celebrar essa data e a antiga parceria da cervejaria com a Brewers Association, o CEO da entidade, Bob Pease, gravou um vídeo para Tarantino, veja abaixo:



Sobre a inauguração
Com evento aberto ao público, serão 10 torneiras de chope no bar da fábrica que vai funcionar na sexta-feira (7/09), das 11 às 21 horas, no sábado, das 11 às 21 horas e no domingo, das 11 às 20 horas. Na alimentação, Vinil Burger na Sexta e Sábado e Massa na Caveira Pizza - Sexta, Sábado e Domingo


Em junho, o All Beers esteve na Cervejaria Tarantino para acompanhar de perto como estava o andamento da nova estrutura e já teve o prazer de provar as primeiras receitas de Alexandre Sigolo, cervejeiro da Tarantino.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...